Projeto fará expedição de 5 mil km promovendo conexão entre artistas de PE e BA

por Carlos Britto // 02 de novembro de 2022 às 21:35

Foto: Hélia Scheppa/reprodução

No mês da consciência negra, o casal de artistas pernambucanos – o fotógrafo Sérgio Figueirêdo e a arte-educadora e pedagoga Williany Amaral – irá percorrer 5 mil quilômetros entre os estados de Pernambuco e Bahia, executando o Projeto PEBA, que leva esse nome em referência a sigla dos dois Estados e faz uma conexão entre artistas dessas localidades. O projeto é produzido pela Grão Fotos através de recursos próprios e conta com apoio de doações realizadas por amigos e pelo Sindicato dos Bancários de Pernambuco e Sindicato dos Professores do Recife (Simpere).

O lançamento oficial do PEBA acontece nesta quinta (3), às 19h, na sede do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, no Recife, e será marcado por uma exposição fotográfica com trabalhos de mais de 20 profissionais que retratam a beleza da herança africana presente nos dois Estados, além de debate sobre ‘A influência negra nas sociedades pernambucana e baiana’.

As falas serão proferidas pela advogada e vice-presidente da Comissão de Advocacia Popular da OAB/PE, a criminalista Anna Beatriz Silva que vai discorrer sobre como o sistema penal é produtor e reprodutor de escravização, reverberando uma lógica colonial que exclui as pessoas negras do seio da sociedade; a Iyábassé do Terreiro Ilê Obá Aganjú Okoloyá de mãe Amara, a advogada sanitarista, Vera Baroni; e pelo ex-presidente do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, Marcos Pereira, um dos fundadores do movimento negro unificado no Estado, com mediação da doutora em Comunicação Social e correspondente da Revista Carta Capital, Fabíola Mendonça.

O Projeto PEBA consiste em levar uma exposição fotográfica coletiva com o objetivo de fomentar o debate sobre a influência cultural afrodescendente em Pernambuco e na Bahia, bem como a importância da luta no combate ao racismo. “Nessa primeira etapa os trabalhos estão ligados apenas às vertentes da fotografia e literatura, mas nossa ideia é ampliarmos esse alcance para outras linguagens como audiovisual, música, teatro e dança“, enumera Sérgio, um dos idealizadores da iniciativa.

Foto: Leandro Lima/reprodução

Roteiro

A expedição do projeto tem início no dia 7 de novembro e irá percorrer comunidades remanescentes de quilombos, assentamentos, feiras livres e praças de pequenos municípios, finalizando em Salvador. No trajeto já estão definidas as comunidades do Caruá, em Gravatá, passando pela quilombola de Águas Claras, em Triunfo; Conceição das Crioulas, em Salgueiro; seguindo até a Bahia, pela área rural de Canudos, Vale do Capão, Chapada Diamantina, Santo Amaro, no recôncavo baiano, e finalizando em Salvador. Será praticamente um mês na estrada e o roteiro poderá sofrer alterações no meio do caminho.

Nas localidades visitadas, além da exposição, a produção irá promover oficinas de contação de histórias e de confecção de bonecas Abayomi, ministradas por Williany, também idealizadora do PEBA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.