Permissionários do Ceape alegam estar sendo pressionados a sair, mas secretário afirma que insatisfeitos “são minoria”

11

barão ceapeO impasse gerado em 2011 entre a prefeitura municipal e os 84 permissionários do Centro de Abastecimento de Petrolina (Ceape) deve ganhar mais um polêmico capítulo. Os permissionários se dizem pressionados pela prefeitura a deixarem o espaço – que pertence ao município e onde o Executivo pretende construir um centro administrativo para abrigar diversos órgãos públicos da gestão. O problema, segundo eles, é a forma como isso vem ocorrendo.

As queixas do grupo direcionam-se principalmente ao secretário executivo Marcones Prazeres. Ligado à Secretaria Municipal de Irrigação, ele é acusado de coagir os permissionários por meio de ameaças.

Um dos comerciantes mais antigos no Ceape, Valter da Silva Santos, conhecido por ‘Barão’ (foto), revelou ao Blog que Marcones teria lhe dito ontem (29) que os terrenos oferecidos pela prefeitura no bairro Antonio Cassimiro, como parte do acordo com a categoria (há dois anos), não seriam mais viabilizados por meio de escrituras, e sim por concessão – o que os permissionários não aceitam sob hipótese alguma.

“Minha energia é particular, não é do Ceape, mas ele (Marcones) vive falando que vai cortar. Também ameaça cortar a água do pessoal. Estamos trabalhando pressionados. Se sairmos do Ceape, não temos para onde ir”, desabafa Barão.

Ele disse ainda que foi o secretário executivo quem determinou a suspensão dos boletos mensais que os permissionários faziam à prefeitura pelo uso do espaço. “Querem nos deixar inadimplentes. Mesmo a gente querendo pagar, não tem como”, critica.

Sucateamento

Pedro Mariano, um dos principais líderes dos permissionários, completa as palavras de Barão. Ao Blog ele conta que a infraestrutura atual do Ceape está sucateada propositadamente. “Tem cano estourado desperdiçando água, a limpeza é zero e o mato cresce. E aquilo ali é um centro comercial que não pertence aos permissionários, é um patrimônio público, mas a prefeitura não vem fazendo a parte dela”, alfineta. E também não poupa críticas à atuação de Marcones.

Quem iniciou o acordo com os permissionários foi Marlize (Mainardes, da Usina de Projetos). Ele (Marcones) não é preparado e ainda pegou o trem andando”, completa Mariano. Rechaçando qualquer tom político acerca do debate, Mariano justifica que os permissionários já propuseram, inclusive, uma modernização do espaço. A proposta, no entanto, foi recusada pela prefeitura, que quer a área total do Ceape.

O representante dos permissionários, por sua vez, alega que em nenhum momento eles se recusaram a deixar o Ceape para trabalharem em outro local. Mas argumenta que espera um mínimo de suporte logístico por parte do município, já que os permissionários não têm condições de montar um novo centro de abastecimento. “A prefeitura também diz que não tem como investir em um novo Ceape, mas tem condições de construir um Centro Administrativo”, rebate.

Nota

geraldo_juniorEm nota enviada pela assessoria de comunicação da prefeitura, o secretário municipal Geraldo Júnior (SEPOG) ressaltou que o Ceape será o futuro Centro Administrativo da Prefeitura de Petrolina e há quase dois anos existe uma negociação em andamento entre os permissionários e ocupantes do espaço. Outra dado exposto pelo secretário, segundo a nota, é que a prefeitura paga cerca de R$ 330 mil por ano de água e luz, recurso que poderia estar sendo utilizado para educação e saúde. “Mas esse gasto será cortado em breve”, afirmou.

Sobre o servidor Marcones Prazeres, o secretário explicou que o mesmo é responsável pela mediação, que está em andamento e que boa parte dos permissionários já aceitou a situação. No entanto, “existe um pequeno grupo resistente”, afirma.  Geraldo Júnior deixa claro que “cada caso será analisado e que o desejo da administração é que tudo seja resolvido da melhor maneira possível para todos”.

11 COMENTÁRIOS

  1. ESSE SECRETÁRIO ESTÁ ALUCINADO. A ENERGIA CONSUMIDA EM CADA PONTO COMERCIAL, É PAGO POR SEUS USUÁRIOS. EXCETO, 4 BOXES ONDE FUNCIONAVA A ADMINISTRAÇÃO DO CEAPE, QUE ESTES USUÁRIOS NÃO PAGAM, POREM NÃO POR CULPA DELES, E SIM POR QUE ELES NÃO COBRARAM.
    EM RELAÇÃO À ÁGUA, JÁ EXISTE REGISTRO COLODO PELA COMPESA PARA CADA BOX. PORTANTO É MAIS UMA MENTIRA DESLAVADA, NO INTUITO DE SENCIBILIZAR A OPINIÃO PÚBLICA, CONTRA O POVO DO CEAPE. LA! NÃO TEM NINGUEM SATISFEITO COM TAL BARBÁRIA. TALVEZ 2 DELES POR ECESSO DE CONFIANÇA. AINDA ACHAM QUE ELES IRÃO CONTRUIR UM NOVO ESPAÇO COMERCIAL.

    • Isso mesmo,pessoas que construíram uma vida no Ceape,e que de lá não podem sair,perdem noites de sono preocupados por qualquer hora ser despejados,isso é muita sacanagem!! EsseSecretário está enloquecendo

  2. Na época das eleições foram lá pedir votos… agora querem expulsar os TRABALHADORES… o secretário disse que existe uma negociação ??? que negociação é essa ??? cortando a água e a luz ??? façam uma pesquisa no Centro de Abastecimento de Petrolina (Ceape) e vejam que está satisfeito com a tal “negociação” Sr.Geraldo Júnior. HIPOCRISIA dizer que “cada caso será analisado e que o desejo da administração é que tudo seja resolvido da melhor maneira possível para todos” MENTIRA !!! só os grandes comerciantes que vão ser chamados para negociação “interessante”, os mais humildes vão ser escorraçados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome