Desmatamento e extração irregular de pedras são praticados impunemente na zona rural de Petrolina

Espécies nativas da caatinga estão sendo desmatadas indiscriminadamente na zona rural de Petrolina. O flagrante foi feito pelo vereador Ronaldo Cancão (PSL) no povoado do Capim, a cerca de 20 quilômetros da cidade. Como se não bastasse a agressão à fauna e à flora, no local também acontece a extração de pedras. Tudo sem autorização dos órgãos ambientais.

As pedras são extraídas da serra através do uso de explosivos. Já o alvo do desmatamento desenfreado são espécies como angico, pau d’arco e baraúna. O flagrante do crime ambiental serve como alerta para o Ibama, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) e Polícia Federal.

Ainda não há conhecimento sobre quem seria responsável pelos serviços. O local é ponto turístico de Petrolina e serve como trilha para os pilotos de motocross.

Adianta plantar árvores em Petrolina?

No bairro Gercino Coelho, zona norte de Petrolina, um flagrante de desrespeito ao meio ambiente: algumas árvores – das quais a cidade tanto carece – foram impiedosamente cortadas.

Mas esta cena, infelizmente, é mais comum do que se pensa.

Enquanto tem gente reclamando que Petrolina não é uma cidade arborizada, as poucas árvores que existem acabam tendo esse destino. Lamentável.

Homem é preso por caçar tatu na zona rural de Petrolina

A Polícia Militar prendeu segunda-feira (31/12) um homem acusado de caçar tatu na zona rural de Petrolina. A prisão aconteceu próximo à comunidade de Pedro Baiano, durante rondas da PM.

Segundo informações do 5° BPM, Nilvan de Jesus Brito, de 27 anos, estava com três tatus no bagageiro da moto, além de uma armadilha para caçar os animais, que são protegidos pelo Ibama.

O acusado foi conduzido à delegacia da Polícia Civil e responderá por infração à fauna silvestre.

Exu ganhará unidade avançada de proteção ambiental

Exu, no Sertão do Araripe, deve ganhar no próximo ano uma unidade avançada de proteção ambiental. A ação, que integra o projeto “Papagaio da Caatinga”, será desenvolvida pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), em parceria com o Ibama e a prefeitura municipal.

A base servirá como uma espécie de viveiro para readaptação de animais silvestres encontrados na região. Também funcionará como local de pesquisa e estudo das espécies nativas da caatinga e do semiárido.

A unidade deverá funcionar onde anteriormente estava instalado um posto da Secretaria da Fazenda, na Chapada do Araripe. O MPPE, juntamente com a Polícia Militar, também envolvida no projeto, está em negociação com o Governo do Estado para utilização do prédio. “O espaço poderá ser ainda o primeiro na região a funcionar como órgão vigilante na proteção das questões ambientais”, explica o promotor de Justiça de Exu, Elson Ribeiro, que está à frente da iniciativa.

O projeto

O projeto Papagaio da Caatinga teve um dos seus momentos marcantes no último dia 12, quando 28 aves da espécie Amazona Aestiva foram levadas de volta ao seu ambiente natural, a reserva de Mata Atlântica existente na região do Araripe. Também foram soltos 29 periquitos numa ação desenvolvida pelo MPPE, em parceria com o Ibama e a Prefeitura de Exu. As aves haviam sido apreendidas e estavam em processo de readaptação ao meio ambiente há quase dois anos, aprendendo a voar e comer sozinhas.

“Com esta ação, o Ministério Público objetiva semear a consciência ambiental na população, preservando espécies de aves praticamente em extinção e contribuindo para uma melhor qualidade de vida no planeta”, pontua o promotor. As informações são da Assessoria de comunicação do MPPE. (Foto/reprodução)

Celpe faz alertas sobre alta no consumo de energia durante o verão

O período de verão representa historicamente um aumento de 16% no consumo médio de energia em relação ao inverno, segundo a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe). Por isso, a entidade alerta sobre a alta na conta de luz. A concessionária lembra do consumo eficiente dos equipamentos de refrigeração utilizados para compensar a alta temperatura.

Segundo o gerente do Departamento de Gestão de Mercado da Celpe, Wlademir Moura, cada um grau centígrado a mais na temperatura ambiental implica em um aumento aproximado de 3% no consumo mensal de energia elétrica, o que equivale a um mês de consumo de uma cidade do porte de Caruaru, com 300.000 habitantes.

Aparelhos elétricos consomem mais quando o ambiente externo está mais quente, sem necessariamente haver mudança de hábito. Porém, climatizadores e condicionadores de ar também não devem permanecer ligados por longos períodos. A orientação da Celpe é para ajustar o condicionador de ar para temperatura confortável, que, para a empresa, é de cerca de 23°C. A utilização do timer (temporizador) para evitar o funcionamento desnecessário ajuda na economia. Enquanto o equipamento estiver desligado, o ventilador pode entrar em ação.

Geladeiras

O que também merece atenção são as geladeiras. Quando em mau estado de conservação, elas chegam a representar 30% do consumo de uma residência. Para evitar desperdício de energia, a Celpe diz que freezers e geladeiras devem ser instalados em locais ventilados, longe de qualquer fonte de calor e com espaço mínimo de 15 centímetros para paredes e armários.

Outra orientação é observar periodicamente a borracha de vedação que, uma vez ressecada, é causa de um dos maiores desperdícios de energia. É importante ainda otimizar o funcionamento de chuveiros, fornos e ferros elétricos para aproveitar o calor, evitando desligar e reaquecer o equipamento com frequência.

Sobre as festas de verão, a concessionária recomenda que, se for usar a churrasqueira, a melhor opção é substituir os itens elétricos por modelos a carvão ou a gás. Também é ressaltado que o uso de aparelhos de som em alto volume resulta em maior gasto de energia. As lâmpadas incandescentes devem ser substituídas pelas fluorescentes, que economizam cerca de 80% de energia elétrica e duram até oito vezes mais que as comuns.

Usina de Energia Solar será instalada no Perímetro Irrigado Pontal

A Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) já está com a licença prévia para a instalação da Usina de Energia Solar em Petrolina. O documento foi entregue pela Agência Municipal do Meio Ambiente (AMMA) na última semana. A usina será instalada no Perímetro Irrigado Pontal e terá capacidade de gerar três mega watts (3MW) de energia.

De acordo com a assessoria de comunicação da Prefeitura, a geração de energia solar é fotovoltaica e ainda é experimental. Segundo o gerente de Meio Ambiente da Chesf, Elvidio Landim, a cidade foi escolhida para desenvolver e aprimorar essa tecnologia devido ao potencial de insolação anual. “Petrolina tem as condições climáticas adequadas para esse tipo de energia. Primeiro a insolação em grande parte do ano, que é imprescindível por causa da produção de energia regular, e segundo a baixa precipitação”, explica.

Segundo o gerente regional de Operação da Chesf, Edson Gonçalves, a usina também será utilizada para a realização de pesquisas. “A cidade é uma das poucas áreas de grande incidência solar no Brasil, o que a torna perfeita para geração e pesquisas em energia solar no País”, afirma. Ele também explica que 2,5 MW serão para distribuição de energia e 0,5 MW para pesquisa na área. Ainda não foi divulgada a data para a instalação e funcionamento da usina. (Foto/ilustração)

Diagnóstico sobre transposição do Rio São Francisco é apresentado no Senado

A Comissão Externa formada por senadores e criada para acompanhar os programas de Transposição e Revitalização do Rio São Francisco reuniu, no início desta semana, o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, e representantes dos Ministérios da Defesa e do Planejamento. Os senadores apresentaram um diagnóstico sobre o encaminhamento das obras, quais os principais problemas identificados e possíveis soluções.

O ministro da Integração Nacional previu, durante a reunião, uma data para o Projeto São Francisco ficar pronto. “Estamos a caminho de alcançarmos velocidade de cruzeiro para a conclusão da obra até 2015”, declarou. E completou dizendo que, “numa obra como essa, surgem imprevistos”, citando empreendimentos semelhantes na China e na Índia.

Para o senador Humberto Costa (PT), que atua na comissão como relator, se as novas licitações ocorrerem sem maiores percalços, ele acredita na conclusão de uma parte significativa da obra em 2014. “Estou certo que, nós do Senado, daremos uma contribuição importante para que, aquilo que está travado, vá adiante”, declarou.

Dados da Integração Nacional mostram que, em julho de 2012, perto de nove mil operários trabalhavam nos canteiros de obras do Projeto São Francisco. Atualmente, esse número beira os quatro mil empregados, devido, inclusive, à suspensão completa da construção de trechos de canais e estações bombeadoras. “Acredito que, num novo auge, os trabalhadores cheguem a, no máximo, 7 mil homens”, disse Bezerra. (Fonte:Folha de Pernambuco).

Comitê formado por diversas entidades assume luta pelo livre acesso à Ilha do Fogo

O Coletivo Amigos da Ilha não está mais sozinho na luta pelo livre acesso à Ilha do Fogo. Várias entidades se reuniram e formaram um comitê que estará à frente das ações na busca de uma solução para o impasse criado a partir da ocupação do Exército no espaço.

Além do Coeltivo, o comitê conta com representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Juazeiro, Colônia de Pescadores da Ilha do Fogo, Sinergia-BA, Instituto Regional da Pequena Agricultura Apropriada (IRPAA), Articulação Popular São Francisco Vivo, Comitê Hidrográfico da Bacia do Rio São Francisco (CHBSF), Associação dos Professores de Juazeiro (APLB), Sindicato dos Bancários de Juazeiro, Federação das Associações de Moradores de Juazeiro e Conselho Orgânico de Petrolina.

Na primeira reunião, realizada no último fim de semana, os participantes discutiram as ações e os direcionamentos que vêm sendo tomados pelas autoridades brasileiras em relação ao Rio São Francisco. Para o grupo, as decisões têm influência direta na vida das comunidades ribeirinhas.

Os integrantes do Comitê ainda iniciaram o planejamento das próximas ações em defesa do acesso da população à Ilha. Ficou definido que cada integrante deve discutir o assunto com suas entidades. A próxima reunião está marcada para o dia 20 de dezembro, no Círculo Operário, em Juazeiro.

Fórum Caatinga Sustentável reunirá 19 municípios do Semiárido de PE em Triunfo

Representantes de 19 municípios do semiárido pernambucano se reúnem amanhã (11) e quarta-feira (12) em Triunfo, no Sertão do Pajeú, para o 1º Fórum Caatinga Sustentável. Sob coordenação da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado (Semas), o Fórum será espaço de planejamento das ações do programa Caatinga Sustentável, que destinará R$ 2,7 milhões do Fundo Clima para fortalecer a capacidade de adaptação das comunidades aos efeitos da seca.

O evento contará com a presença de integrantes de governos, ONGs, universidades e Sindicatos de Trabalhadores Rurais. O programa Caatinga Sustentável terá ações de segurança hídrica (construção comunitárias de cisternas) e alimentar, e irá implantar unidades produtivas energéticas (fogões ecológicos) e ambientais (banheiros adequadamente saneados). Outra proposta é estimular atividades econômicas sustentáveis, como apicultura, ecoturismo, agroecologia e sementeiras, entre outras.

“Além de fortalecer e melhorar a vida das comunidades que vivem próximo às reservas florestais, o Caatinga Sustentável também vem com a missão de torná-las as principais guardiãs dessas matas, uma vez que a conservação da caatinga é uma das medidas básicas para mitigação dos efeitos da seca no Semiárido, região fortemente ameaçada pelo fenômeno da desertificação”, explica o secretário executivo da Semas, Hélvio Polito, que vai abrir o evento juntamente com representantes do Ministério do Meio Ambiente.

O 1º Fórum, intitulado “Caatinga Sustentável: Implantação de Módulos de Manejo Sustentável da Agrobiodiversidade para o Combate à Desertificação no Semiárido pernambucano”, tem apoio da Fundação Joaquim Nabuco e irá acontecer no Sesc Triunfo.

Unidades de Conservação

Em cumprimento à Política Estadual de Combate à Desertificação e Convivência com a Seca, que resultou no Programa Estadual de Combate à Desertificação e Mitigação dos Efeitos da Seca (PAE-PE), o Governo de Pernambuco, através da Semas, trabalha com a meta de criar até 2014 um total de 15 Unidades de Conservação estaduais de Caatinga, em áreas que abrangem 19 municípios: Afrânio, Arcoverde, Belém do São Francisco, Tacaratu, Santa Maria da Boa Vista, Cabrobó, Carnaíba, Exu, Floresta, Itaíba, Lagoa Grande, Parnamirim, São Caetano, São José do Belmonte, Serra Talhada, Serrita, Taquaritinga do Norte, Triunfo e Venturosa.

Duas delas já foram criadas – em Serra Talhada e Floresta. As informações são da assessoria de comunicação da Semas.

Comunitária alerta para pé de algaroba que ameaça desabar na Avenida Paraíba e lamenta falta de estrutura na AMMA

Na praça da Avenida Paraíba, que divide os bairros da Cohab II e III (Areia Branca) um pé de algaroba de mais de 30 anos – e que nunca foi podado –, parecido com o da foto acima, partiu-se ao meio e está prestes a cair sobre os fios de alta tensão da avenida, arriscando ir ao chão e levar consigo um pé de castanhola que fica ao seu lado.

A informação é da leitora Joselita Andrade Rodrigues Freitas, que fez o alerta ao Blog. Confiram:

O pé de algaroba está podre e apresenta focos de cupim, uma parte do galho que caiu está no meio da rua, fazendo com que os motoristas que vêm da Avenida São Francisco, sentido Avenida Monsenhor Ângelo Sampaio, façam uma manobra de desvio. Os moradores já ligaram para a Prefeitura, AMA e para a Secretaria de Urbanismo.

Uma funcionária da AMA informou que não existem funcionários para resolver o problema, pois a prefeitura demitiu uma parte do quadro de funcionários. Isto está virando palhaçada!

Já não bastam os cinco dias que uma parte dos moradores ficou sem água, porque após o conserto da encanação os funcionários da Compesa fecharam o buraco com o tampão, que é colocado para que possam efetuar os serviços de reparo, algumas semanas depois, mais 17 dias com esgoto estourado na Rua Tomaz Maia, que descia pela Avenida Paraíba e, junto com ele, três dias de encanamento de água limpa estourado, que começou na Avenida São Francisco, em frente ao Caldinho Ele e Ela, até o fim da Avenida Paraíba.

Joselita Andrade Freitas/Comunitária

(c) 2015 Blog do Carlos Britto | produzido por proximavenda.com.br