Vereadora do Recife defende criação de comissão para investigar informações vazadas sobre menina de 10 anos estuprada

0
Foto: Ascom/divulgação

No Recife (PE), a vereadora Aline Mariano (PP) defendeu durante sessão ordinária remota nesta segunda-feira, na Câmara Municipal, a criação de uma comissão para apurar e punir os responsáveis pelo vazamento de informações acerca da criança capixaba de 10 anos, que chegou à capital pernambucana grávida de 22 semanas. A menina, que foi estuprada pelo próprio tio, foi transferida do Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes, em Vitória (ES), para o Cisam, depois que a unidade de saúde capixaba negou o pedido de realização de aborto.

É um absurdo a exposição ao qual essa criança está sendo submetida. Além de ter sido estuprada pelo próprio tio e ter uma gravidez de risco, uma multidão vai para a frente do Cisam para fazer manifestações que não ajudam em nada. Não estão pensando na criança. Me solidarizo também com os profissionais de saúde que foram xingados e acuados. Querem fazer política com uma questão delicada para essa menina, para a família, dela e tentaram desestabilizar a administração do Cisam. Vamos formalizar a criação de uma comissão para apurar e punir os responsáveis pelo vazamento das informações acerca desse caso“, declarou.

Sobre a polêmica envolvendo o aborto já autorizado pela justiça, a vereadora se posicionou favorável ao cumprimento da legislação brasileira.

A gravidez foi interrompida com todo o profissionalismo reconhecido nacionalmente pelo Cisam e a garota está bem. A lei brasileira permite que um aborto seja realizado por meio do serviço público de saúde no caso de a gravidez ser resultado de um estupro, assim como em situação de risco para mãe ou de anencefalia. O hospital cumpriu a lei e não há o que discutir. Agora é cuidar dos danos psicológicos e físicos sofridos por essa criança e cobrar punição severa para o estuprador“.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome