Miguel Coelho pede que Estado seja justo e reivindica reabertura de bares, restaurantes e academias de Petrolina

9
Foto: Reprodução

Após mais de quatro meses do registro do primeiro caso do novo coronavírus (covid-19), Petrolina segue como a cidade do Nordeste de médio ou grande porte com menos mortes – no último boletim divulgado são 59 óbitos – e com a menor taxa de mortalidade – 16,9 por 100 mil habitantes. O município também tem registrado queda contínua de novos casos de transmissão da covid-19. Por conta desse cenário, o prefeito Miguel Coelho reivindicou do Governo de Pernambuco a reabertura gradual e segura de bares, restaurantes e academias em Petrolina.

O posicionamento foi manifestado em um vídeo postado nas redes sociais, nesta sexta-feira (7). Miguel lembra que, devido ao trabalho preventivo, políticas de saúde eficientes e investimentos prioritários no tratamento, testagem e rastreio do vírus em pacientes, a cidade se tornou referência no Nordeste no combate a covid-19. Comparada a municípios pernambucanos do mesmo porte, Petrolina tem quatro ou até sete vezes menos mortes pela doença. Ainda assim, Petrolina segue sem autorização para funcionamento de vários segmentos econômicos e de saúde, ao contrário do Agreste, Zona da Mata e Região Metropolitana. 

Miguel ressalta no posicionamento que não se trata de politização da pandemia. Pelo contrário, o prefeito de Petrolina segue defendendo a união dos entes federais, estaduais e municipais no enfrentamento a covid-19, porém, considera o tratamento injusto com os sertanejos diante dos dados comparativos e quadro epidemiológico. “Não queremos politizar nem polemizar com o assunto, mas Petrolina tem os melhores números no combate à pandemia em Pernambuco. Se for para mortalidade, é a menor do estado, se for para ocupação de leitos, pela primeira vez, estamos abaixo de 50% e estamos registrando queda no número de novos casos. Queremos o mesmo tratamento e sabemos que Petrolina fez um grande trabalho, e se for baseado nos dados, estamos melhor que as demais cidades“, concluiu Miguel.

9 COMENTÁRIOS

  1. Governador tirano, é esse de Pernambucano. Pior governador da história. Não tem nada que preste na gestão de Paulo Câmara. …. o povo clama por trabalho, dinheiro pra o sustento. Qual a diferença entre um restaurante aberto e uma loja de material de construção? Ou um Shopping? Tem que reabrir é tudo, com todos os cuidados. Quem está no quadro de risvo , ou não quiser mesmo, fique em casa, mas os demais têm o direito de trabalhar e ganhar o pão de cada dia.

  2. Calma Miguel! Não entre nessa onda dos empresários não.
    Depois da bagaceira, quem vai levar uma surra é você, inclusive esses mesmos empresários serão os primeiros a lhe chamarem de incompetente.
    Faça a coisa certa!

  3. A pior pandemia é a da politicagem rasteira e barata que assola nosso país e, principalmente, nosso estado! É evidente que o governador está pouco se lixando para as empresas e trabalhadores das academias e restaurantes da nossa cidade; como um bom socialista que é, quanto mais pessoas estiverem na miséria, dependendo de migalhas estatais, mais fácil será cativar o voto dessa massa. E isso não vem de agora, desde os tempos de Miguel Arraes que os sertanejos são cooptados por esmolas dadas pelos governantes: era um bode pra cá, um saco de feijão pra lá, e pronto! Aquele pobre cidadão ficaria eternamente agradecido ao “compadecido” benfeitor. Segundo dados do novo Caged, Pernambuco foi o estado do norte e nordeste que mais perdeu empregos formais neste ano, e, até últimos dados disponíveis, estava em quarto colocado nacional. A perda de empregos foi maior do que em estados mais populosos, como Minas Gerais, Bahia, Paraná e Rio Grande do Sul. No mês de junho, segundo o IBGE, 9 milhões de pessoas perderam suas ocupações no Brasil, agravando ainda mais a situação caótica na qual encontramos. Mas isso parece não ser um problema para o governo estadual, que, mesmo não investindo praticamente nada, principalmente na saúde, durante os anos nos quais governou, tem o poder de decidir sobre assuntos locais que dizem respeito exclusivamente aos munícipes daqui. O tratamento diferenciado e discriminatório é notório e escandaloso. Só não ver quem não quer. Outras cidades em situação pior, como bem frisou o prefeito, tiveram tratamento mais benéfico e condescendente que Petrolina está tendo. Não existe um dado técnico e científico, ou números que justifiquem essa decisão, a não ser o critério exclusivamente politiqueiro.

  4. o Paulo “Borracharia”, assim como demais governadores, nunca gostaram da cidade de Petrolina – só na época da eleição que vem pedir voto – esse ano o borracheiro sabe nem o milagre faz um prefeito aqui, mas em 2022 vai querer os votos daqui para ser Senador – espero que todos de Petrolina e região lembrem do ano de 2020 e votem no seu concorrente para demonstrar ao Borracharia que câmaras e pneus estão furados e não servem mais para uso.

  5. os numeros estao caindo ? só de segunda ate sabado dessa semana foram quase 500 casos praticamente o mesmo numero das ultimas duas semanas se teve queda foi quase impercpetivel . o raciocínio é, se tiver leitos de utis abaixo de 70% e o menor numero de mortes por habitantes do estado vamos abrir tudo , utis nao salva as vidas de todas as pessoas que ficam lá, se assim fosse nao teria nenhum morto em petrolina já que todos o mortos por covid foram internados em utis o que impede mesmo a morte por corona é o isolamento distanciamento quando for preciso , que a que deveria ter dito mas foi um isolamento meia boca deveria ter tido um lockdown que nunca houve , e essa conversa que petrolina é a cidade com menor numeros de obitos é facil entender porque o contagio veio do litoral pra o sertao estamos passando aggora o que a grande recife e agrente passaram a uns dois meses atras, deixa o tempo correr pra ve se petrolina vai permanecer com esse primeiro lugar . deveria ter tido um lockdown mas pelo jeito ninguem vai defender essa medida porque muitos interesses estao envolvidos .

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome