Hospital de Campanha de Juazeiro deve funcionar em duas semanas com até 60 leitos exclusivos

0
Foto: Ascom

O prefeito de Juazeiro (BA), Paulo Bomfim, acompanhou no último sábado (25) o início das obras do hospital de campanha do município, que está sendo montado em um espaço anexo à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas e contará inicialmente com 40 leitos intermediários. Caso necessário, poderá ser ampliado para até 60 leitos e dará suporte à estrutura de tratamento específico para o novo coronavírus (Covid-19) existente na UPA, que já conta com oito leitos de sala vermelha e 12 de enfermaria. A unidade tem previsão para funcionar durante três meses e terá investimento municipal, no valor total de R$ 2.390.787,24 – entre estrutura, equipamentos e custeio.

“Esse é mais um compromisso que estamos cumprindo e realizando com recursos do município no combate à Covid-19. E ainda nesta semana contaremos com mais 10 leitos de UTI no Hospital Regional, dentro dessa importante parceria que temos com o governo do Estado”, destacou Bomfim, ressaltando ainda que a ampliação de leitos tem o objetivo de reduzir a taxa de ocupação no município e pretende ficar abaixo de 60% até meados de agosto.

“Estamos trabalhando com o foco de proteger a população e nosso objetivo é continuar possibilitando que nenhum juazeirense fique à espera de atendimento médico. E esse controle, mediante o fortalecimento da nossa rede de saúde, nos permite iniciar o plano de retomada das atividades econômicas dentro dos critérios de segurança sanitária”, frisou.

A estrutura móvel já foi levantada com a cobertura, e ainda nesta segunda-feira (27) serão finalizados o piso e as laterais. Os 12 leitos de observação da UPA e os 40 – ou até 60 leitos – de cuidados intermediários das novas enfermarias do Hospital de Campanha, serão compostos por rede de gases. Caso algum paciente tenha o quadro clínico agravado, a posterior intubação com suporte ventilatório acontecerá com o apoio de mais dois respiradores mecânicos extras e dois monitores multiparâmetros.

Superlotação

Para evitar superlotação dos leitos hospitalares nos Estados e municípios, o Ministério da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgaram notas técnicas no sentido de recomendar que unidades provisórias fossem instaladas e mantidas durante o período da pandemia de acordo o aparecimento da necessidade de cada lugar. “O intuito do nosso município é proporcionar que pacientes que necessitem de cuidados intermediários sejam hospitalizados o quanto antes e que a assistência precoce possa vir a diminuir os casos de óbitos”, explicou a secretária da Saúde, Fabíola Ribeiro.

Ela ressaltou ainda que, aliado ao esforço de estruturar toda a rede de atendimento, o prefeito vem mantendo o compromisso de diminuir os efeitos danosos da pandemia adotando diversas medidas estratégicas, a exemplo da criação de ala específica para pacientes gestantes suspeitas ou confirmadas da Covid-19 no Hospital Materno Infantil de Juazeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome