Após assassinato do filho, mãe fica depressiva, desenvolve outras doenças e morre em Petrolina

2
Maria de Fátima Alves tinha 59 anos. (Foto: Arquivo pessoal)

Lidar com a perda de um ente querido não é tarefa fácil. Entretanto, o luto é um processo pelo qual – infelizmente – todas as pessoas deverão passar a fim de amenizar o sofrimento gerado pela ausência do outro.

O problema ocorre quando essa fase natural se torna mais difícil que o habitual: o que os especialistas chamam de “luto complicado”. E foi exatamente isso que aconteceu com uma moradora do N-10 do Perímetro Irrigado Senador Nilo Coelho, zona rural de Petrolina.

Dona Maria de Fátima Alves, de 59 anos, não conseguiu suportar a perda do filho, Fábio Alves da Silva. Ele tinha 32 anos quando foi vítima de disparos de arma de fogo, no dia 10 de outubro de 2018. Fábio ainda chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos. Deixou esposa e dois filhos.

Após o crime, Dona Maria de Fátima ficou muito debilitada. Com sintomas de depressão, segundo os familiares, ela não queria se alimentar, não queria tomar banho, só chorava e dormia. Resultado: desenvolveu pneumonia e infecção urinária, agravando ainda mais seu quadro de saúde. Ela faleceu no último dia 14.

Fábio foi assassinado no N-10. (Foto: Arquivo Pessoal)

Suspeito do crime

O homem apontado como autor do homicídio de Fábio Alves da Silva é Paulo Sérgio Avelino Ramos. Ele foi preso três dias após o crime e liberado. A Justiça, no entanto, não explicou o motivo do relaxamento da prisão.

Depois, foi expedido um mandado de prisão preventiva contra o suspeito. Como este Blog mostrou, Paulo Sérgio Avelino foi localizado pela Polícia Militar (PM) de Arcoverde (PE), no Sertão do Moxotó, no último dia 14 de abril.  Na ocasião, ele foi encaminhado ao Presídio Advogado Brito Alves (PABA), em Arcoverde, depois foi transferido para a Penitenciária Dr. Edvaldo Gomes, em Petrolina, segundo a família da vítima.

Julgamento

Preso há mais de dois meses, o julgamento do homem apontado como autor do crime será no próximo dia 24 de julho, no Fórum Dr. Souza Filho, no Centro de Petrolina, às 8h. A família acredita que o réu será condenado.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome