A Univasf, o bônus e a esperança dos estudantes sertanejos

111
Campus Sede da Univasf, no Centro de Petrolina. (Foto: Blog do Carlos Britto)

Desde o ano de 2009 este Blog testemunha pais e estudantes solicitarem ao Conselho Universitário (Conuni) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) um bônus regional. Era, inclusive, uma bandeira do Deputado Osvaldo Coelho. A Univasf ainda não ouviu esse apelo justo dos sertanejos. E já se passou mais de uma década.

Em 2015, todas as universidades do Nordeste que tinham campi no Interior já adotavam políticas de bonificação, a exemplo da UFRN (Campus Caicó) e UFPE (Campus Caruaru). Nessa época, o Reitor Julianeli Tolentino chegou a afirmar em entrevista ao GR TV que ia defender no Conuni um bônus de 20%. Não cumpriu a promessa que fez. E teve tempo, pois administrou a Univasf por dois mandatos e sempre teve grande influência na entidade.

Explica-se: o Conuni é formado por professores, pró-reitores, funcionários, representação estudantil e da sociedade, dentre outros. O Conselho decide sobre qualquer política de bonificação. Tem autonomia. Isso está garantido pela Portaria normativa MEC Nº 21, de 5 de novembro de 2012.

O Conselho é quem decide. E, se não decide, as vagas nacionais da Univasf dos cursos mais concorridos ficam, em enorme quantidade, com jovens de capitais do Nordeste e de outras regiões brasileiras.

Foi esse o motivo do atual reitor da UFPE, Professor Alfredo Macêdo Gomes, sertanejo de Ouricuri (PE), assumir uma postura em defesa dos estudantes pernambucanos. A UFPE (Campus Recife, pois Caruaru já tem há anos), já garantiu para o Enem 2020/Sisu 2021 um acrescimento de 10% na nota de todos os estudantes que quiserem medicina, desde que tenham cursado todo o Ensino Médio em Pernambuco e residam em nosso Estado.

Essa semana um tuitaço influenciou e fez o Reitor da UPE, Professor Pedro Falcão, também pernambucano, assumir o protagonismo e já está em discussão avançada 10% de bônus para estudantes pernambucanos nos cursos de Medicina, Direito e Odontologia para as vagas nacionais da UPE, que são pelo Enem (metade é pelo SSA).

Se as bonificações da UFPE e UPE são vistas com alegria, é necessário falar da injustiça social que a Univasf comete com os jovens que moram nos mais de 250 municípios das mesorregiões (áreas de Pernambuco, Piauí e Bahia).

A Univasf tem várias cotas, todas válidas. Mas, quando estabelece uma cota para o estudante de escola pública, PPI (Preto, Pardo ou Indígena) e de baixa renda, esse estudante é de qualquer parte do Brasil. Em Medicina, a quantidade de estudantes que são das mesorregiões não é maioria. Nunca foi. Vagas importantes também são perdidas em todos os outros cursos

Atualmente, a Univasf é dirigida pelo reitor pró tempore, Professor Dr.Paulo César Fagundes Neves, e a última disputa eleitoral está na justiça. O ambiente político na Univasf entre reitoria e Conuni não é dos melhores. Mas, diante desse cenário, com todos os reitores das instituições de Pernambuco que têm medicina adotando a bonificação para não prejudicar os pernambucanos, torna-se imperioso à Reitoria e ao Conuni da Univasf darem uma trégua em prol de muitos jovens.

No Enem 2020 e Sisu 2021, um filho de sertanejo para entrar em medicina na Univasf competirá com o Brasil todo. Um Pernambucano do Agreste ganhará 20% na sua nota se escolher o Campus Caruaru. Um pernambucano que escolher Medicina no Recife terá 10%. Um jovem maranhense que escolher a UFMA também tem 10% de bônus. E por aí vai.

Perceberam a desigualdade?

Nessa pandemia, como fazem falta mais médicos e outros profissionais de saúde que a Univasf formou e que voltaram para suas regiões de origem…então, passou da hora das lideranças políticas que garantem verbas extras para Univasf articularem com a reitoria e o Conselho Universitário esse bônus para todos os cursos, ou para os mais concorridos. Passou da hora dos prefeitos de Petrolina, Juazeiro, Paulo Afonso, Senhor do Bonfim, Salgueiro e São Raimundo Nonato, que doaram e doam terrenos para o crescimento da Univasf, defenderem os estudantes do Sertão. Agora é a hora do paraibano, Professor Dr.Julianeli Tolentino, que tem excelente trânsito no Conuni da Univasf, articular o que prometeu em 2015.

Só não dá para aceitar é uma resposta já dada por um membro do Conselho: “diga aos estudantes que vão estudar”. Eles estudam sim, e muito. Mas a competição é por centésimos, na briga por uma vaga. Foi essa a percepção realista dos reitores e dos conselheiros da UFPE e UPE. Senhores conselheiros da Univasf, somos a região com maior vulnerabilidade social do Estado e nossos estudantes estão totalmente desprotegidos. Somente vocês podem reescrever essa história de exclusão, transformando-a em inclusão.

A sociedade regional aguarda ansiosamente o comunicado da Univasf para noticiar, em breve, qual bônus vai adotar para os sertanejos de Pernambuco, Bahia e Piauí.

111 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns, Carlos Britto.
    Você coloca o dedo na ferida que a elite intelectual (?) do Conuni insiste em não cuidar. Dentre as mais diversas cotas existentes esta é a única que protege e promove a região.
    Está claro que a maioria dos membros do Conuni não priorizam a região.

  2. Esse bônus será um grande passo, não só para os estudantes do Vale, mas para toda a região. Os estudantes que residem aqui e conseguem entrar na nossa faculdade tendem a permanecer após se formarem, só há benefícios!

  3. Parabéns pela abordagem desse tema. Essa luta antiga precisa ser retomada. Sem esse bônus, teremos uma competição mais excludente ainda na UNIVASF, pois todos os estudantes de outras regiões que competiriam na UPE e UFPE, como elas terão bonificação, todos virão para UNIVASF.
    Que o CONUNI compreenda essa causa justa. Somente o CONUNI pode decidir. Sertanejos, uni-vos!

  4. Que a bandeira levantada por Osvaldo Coelho seja motivo de encorajar os prefeitos de Petrolina, Juazeiro, Paulo Afonso, Senhor do Bonfim, Salgueiro e São Raimundo Nonato. Quem mais pode ajudar são vocês. Lutemos

  5. Péssimo a UNIVASF não ter adotado a bonificação ainda. Médicos, engenheiros, cientistas, historiadores, etc, veem para a nossa cidade se formar e vão embora. Resultado: a mão de obra qualificada da região/ estado continua no litoral.

    • Um certo tempo atrás fiz parte desta luta em prol deste reconhecimento de cota pela UNIVASF. Apesar de estar pensando em minha filha para o curso de medicina, a luta era com todos, por todos e para todos. O Conselho da UNIVASF não sedia, pois muitos de seus membros eram de outras regiões do Brasil e temiam que esse passo prejudicasse seus parentes e amigos, e amigos dos amigos. Enquanto outras regiões adotavam e a chance de nossos alunos diminuia. Minha filha conseguiu ingressar numa Universidade particular fora de Petrolina. E digo que não está sendo fácil. Teve oportunidade de fazer outros cursos, mas o sonho dela era a medicina, que apoiamos. Mas, não tínhamos alternativa, a não ser encarar a realidade do momento. Fico feliz porque a região será beneficiada com este grande passo. Parabéns futuros médicos (as).👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

  6. Chegou a hora de chamar atenção para essa causa tão importante para nós estudantes! Que seja percebida logo a importância dessa bonificação! #univasfcombonus

  7. Gostaria de saber quem são o conselho da Univasf, de onde são, se são da região ou se vieram de fora, visto que a má vontade com essa pauta há mais de 10 anos, dá a entender que são conselheiros sem empatia com os regionais. Nós pais sertanejos nos sacrificamos muitas vezes pela manutenção de um filho numa escola particular ou num cursinho pré vestibular justamente por saber o disparate que é a ampla concorrência. É mais que chegada a hora desse bônus.

  8. Sou Maria Eduarda, vestibulanda e moradora e nascida em Petrolina PE. Desde o primeiro momento do curso de Medicina aqui na região na Univasf, nunca tivemos nenhum benefício para acessar, sendo que residimos na região e contribuímos para o desenvolvimento da Universidade. Espero que o bônus realmente seja aprovado para que a desigualdade perante as outras faculdades seja, pelo menos, diminuída.

  9. É cada vez maior a necessidade da existência do bônus na UNIVASF, a quantidade de vagas que estão ficando com pessoas de outros Estados é injusta para com os estudantes da região sertaneja. Queremos menos desigualdade. #BÔNUSUNIVASF

  10. Essa bonificação para os alunos das regiões do Vale do São Francisco é mais do que necessária. Tenho uma filha que fez Fundamental II e faz atualmente o Ensino Médio em escola pública de Petrolina, não seria justo ela ter que sair da sua cidade para fazer o curso superior em outra região se na Univasf tem o curso que ela deseja e luta tanto para conseguir ingressar.

  11. Eu totalmente apoio, acho que deveria haver sim um bônus para pessoas da região, pois como as pessoas das outras regiões tem o bônus, por que não nós do vale do são francisco?

  12. Sou médico, petrolinense, formado pela UNIVASF e afirmo categoricamente que muito mais que 50% de qualquer turma de medicina desta universidade é de gente do Nordeste, mais ainda de Pernambuco. Duvida? Basta acessar o site da instituição e localizar os censos anuais. E a cada ano que passa mais e mais petrolinenses adentram no curso mais concorrido da casa. Ademais, os poucos que são de fora do Nordeste em sua grande maioria atuam na região. Portanto, não há qualquer necessidade a criação de cotas regionais.
    Nós petrolinenses somos, sim, capazes!

  13. Temo esse raciocínio. Já pensou se o ITA, o IMA e todas as universidades públicas do país adotassem essa mesma medida de privilégio aos seus regionais? Quantos milhares de petrolinenses concluíram seu curso superior fora de Petrolina para retornar formado e atuar aqui na cidade? Miguel Coelho e Júlio Lóssio se orgulham da educação de nossa cidade. Por que não conseguimos competir, se nossa educação é tão boa?

  14. O antigo reitor e o antigo vice-reitor eram de fora, ou seja não estavam nem ai pra implantar algo que beneficiasse os moradores da região. Agora a população tem que ficar de olho nos membros do conselho que também são na maioria de fora e serão os responsáveis que votam a implantação ou não. Qualquer cidadão pode participar da votação.

  15. Obrigada, Carlos Brito, por abraçar essa causa tão importante para os jovens da nossa região, que poderão contribuir para um futuro melhor, onde a Univasf já deveria ter oferecido esse bônus sem ter que passar pela repercussão social. Esse é o nosso legado fazer parte da nossa história 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

  16. Ao contrário do que a reportagem tenta fazer parecer, encontrei poucas universidades com sistemas de cotas para locais. Até acho justo isso em universidades municipais e estaduais, como Facape e UPE. A Univasf é federal. O Brasil todo paga por ela, e portanto deve ter direito de usufruir. Agora imaginem o inverso. Se as melhores do Brasil, como USP, UNIFESP, ITA, etc, resolvessem privilegiar os alunos de lá, praticamente fechariam as portas para nordestinos. Como nos sentiríamos com isso? Ou devemos nos conformar com a Univasf, e não querer algo melhor? Meus filhos estão na escola, mas sou contra essas cotas. O outro motivo alegado, de perda de mão de obra qualificada, é fake news. Boa parte dos médicos que ocupam os principais hospitais públicos e privados daqui são formados na região (graduação ou residência), e possuem os mais diversos sotaques.

  17. Já é hora da univasf adotar essa política. A cada ano, os estudantes pernambucanos ficam mais desprotegidos e a bonificação em outros estados atrai mais pessoas ressaltando a desigualdade, a bonificação não é somente necessária, é essencial!

  18. Precisamos dessa bonificação para valorizar todas as mesorregiões que precisam mais do que nunca de profissionais da saúde que se comprometam em melhorar a saúde do sertão. A hora é agora estudantes sertanejos!!!!!
    #BÔNUSJÁ

  19. Eu apoio essa causa! Parabéns pelo posicionamento, Carlos Britto. Com toda a certeza, os estudantes sertanejos merecem esse bônus. Também foi valioso relembrar que diversas universidades já são adeptas do bônus regional, pois já é um fato que estudantes das mais diversas regiões do Brasil migram de um estado para o outro por uma vaga no curso desejado, ainda mais quando essa vaga é a de um curso concorrido. A consolidação desse bônus seria uma vitória para os estudantes sertanejos e para todas as mesorregiões citadas.

  20. Esse bônus é super necessário e válido! Ele não desmerece a educação local, muito pelo contrário, vejo como uma possibilidade ampliada de ter como protagonista o estudante da região!!
    #UNIVASFCOMBONUS

  21. Esse bônus não é sobre incapacidade dos estudantes nordestinos, mas sobre a desigualdade de diversas federais adotarem bônus regional e a nossa UNIVASF não acompanhar. As federais do Acre, Maranhão, Piauí entre outras adotam tal sistema para incentivar os futuros universitários dessas regiões, já está mais que na hora da Universidade do Vale do São Francisco fazer o mesmo. Essa é uma grande oportunidade para a comunidade estudantil sertaneja, não se enganem.

  22. Excelente reportagem Carlos Britto! A Univasf tem sede no Sertão e foi criada para o aluno do Sertão. As demais regiões já são beneficiadas com grandes Universidades há vários anos.
    Se Deus quiser todos o corpo doscente e discente da Univasf vai abraçar essa causa!

  23. Prezado jornalista Carlos Britto, a Coordenação do Colegiado de Medicina do Campus Paulo Afonso/BA (CMED-PAV) encaminhou recentemente para análise da Pro-reitoria de ensino; e posteriormente do Conselho Universitário (CONUNI) o processo SIPAC 23402.012918/2020-26, referente a discussão sobre a bonificação regional no curso de medicina do Campus Paulo Afonso. Essa discussão vem desde meados de 2018 (já tendo sido aprovada pelo Colegiado de Medicina àquela época); sendo retomada há mais ou menos um mês, após solicitação de alunos do ensino médio da região e membros da sociedade organizada. Creio que seja a primeira iniciativa concreta para a criação de bonificação regional em pelo menos um dos Campi da Univasf

    Att.
    Prof. Sydney Leão
    Coordenador do Colegiado de Medicina da Univasf- Campus Paulo Afonso/BA

  24. Parabéns Carlos Britto. Excelente discussão. Esta bandeira é válida. Como sertanejo de Petrolina, que estudou em escolas públicas a vida toda, sei como é difícil concorrer com estudantes de regiões onde o ensino público é mais desenvolvido. Como membro do CONUNI, apoiarei esta bandeira, que é maior que as disputas políticas internas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome