Vazão do Rio São Francisco pode ser aumentada para proteger foz contra óleo

0
(Foto: Simone Santos/ Projeto Praia Limpa)

A Agência Nacional de Águas (ANA) deu aval para que a vazão da Barragem de Xingó (AL/SE), no Rio São Francisco, em Alagoas, seja aumentada em caso de necessidade. Com isso, seria possível ampliar a vazão do Rio São Francisco, caso o óleo que atinge praias do Nordeste ameace a foz do rio.

A vazão do São Francisco vem sendo controlada pela ANA desde 2013 , com o objetivo de preservar água nos reservatórios das hidrelétricas ao longo do rio. Em abril, diante da melhoria da situação dos reservatórios, as restrições foram revistas.

O aumento da vazão pode impedir que as manchas de óleo subam pela foz do rio. Na última quinta-feira (10), o óleo de origem misteriosa que atinge o Nordeste começou a entrar em manguezais e rios importantes da região como o próprio São Francisco, o Itapicuru e o Vaza-barris e até mesmo o São Francisco, atingindo estuários que são berçário de diversas espécies de plantas e animais.

Na reunião desta sexta (11), foi autorizada a elevação da vazão da hidrelétrica de Xingó, a última do rio, dos atuais 800 para 1.300 metros cúbicos por segundo (m³/s). Se a medida for adotada, as águas que passam por Xingó levarão cerca de 50 horas até atingir a foz, distante 179 quilômetros da hidrelétrica. Para isso, será necessária a elevação da vazão também na hidrelétrica de Sobradinho (norte da Bahia), que fica antes de Xingó.

O controle de vazões tem por objetivo poupar água em Sobradinho. Em nota, a ANA disse que a liberação de mais água está limitada à perda de um ponto percentual no nível do reservatório da hidrelétrica, que está hoje em 34,47%. Assim, diz a agência, a medida não compromete a segurança hídrica da região. (Fonte: Folha de São Paulo e CBN)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome