Univasf inaugura Ponto de Inclusão Digital na Escola Família Agrícola, em Sobradinho

0
Ponto de Inclusão Digital na Escola Família Agrícola (EFAS), em SObradinho-BA. (Foto: Ascom Univasf/Divulgação)

A Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) inaugurou, nesta semana, um Ponto de Inclusão Digital na Escola Família Agrícola (EFAS), em Sobradinho, no norte da Bahia. Também chamado de Telecentro, o espaço foi estruturado com 20 equipamentos recondicionados pelo Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC) da Univasf, vinculado à Pró-Reitoria de Extensão (Proex).

O evento contou com a presença do vice-reitor Telio Nobre Leite; da pró-reitora de Extensão, Lucia Marisy; da coordenadora do CRC da Univasf, Márcia Bento; do presidente da Campus Party, Francesco Farruggia; do diretor da Associação Mantenedora das Escolas Família Agrícola (Amefas), Evanilton Dimas; e do diretor da escola, Ivo de Jesus Costa.

Para Evanilton Dimas, diretor da Amefas, que tem filhos estudando na escola, a nova sala irá valorizar a educação dos alunos. “Para nós, famílias, essa conquista tem um valor muito grande. É importante ver nossos filhos participando de cursos e capacitações. Esperamos que este seja o início de novos projetos com a Univasf”, afirmou.

Criada em 1990, a Escola Família Agrícola de Sobradinho oferece o ensino fundamental II e o ensino médio e técnico integrado em Agropecuária. A escola tem atualmente 152 estudantes e adota a pedagogia da alternância.

CRC

O CRC é um programa de Inclusão Digital do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que há dois anos é executado na Univasf pela Proex. Desde que foi criado, o CRC da Univasf já recondicionou mais de mil computadores e implantou cinco telecentros, três deles em Dormentes (PE) – no Sertão do São Francisco – e um em Canudos (BA) – também no norte baiano. Este último foi primeiro a ser inaugurado, no ano passado. A previsão, segundo Márcia, é que até o final deste mês outros seis pontos de inclusão digital sejam inaugurados em Sobradinho. Cada telecentro possui em média 20 máquinas, que passam por um processo de recondicionamento de suas peças para que continuem em boas condições de uso antes de serem encaminhados a escolas, igrejas ou associações.

O programa também prevê a realização de cursos de capacitação para pessoas de todas as idades. O CRC da Univasf já capacitou 1,1 mil pessoas, com idades de 17 a 76 anos, que tiveram cursos de montagem e manutenção de computadores, instalação de softwares livres e informática básica. Os participantes saem das capacitações prontos para atuar como multiplicadores nos telecentros de suas cidades de origem. Na opinião da professora Márcia, o programa é de grande relevância social, pois além de capacitar os alunos e recondicionar os computadores, possibilita o empoderamento das pessoas na busca pelo conhecimento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome