Uma imagem que abalou o mundo e deixou a humanidade um pouco mais desprezível do que já é

5

garoto sírioA foto acima abalou o mundo nesta quinta-feira (3). Nela, está uma vítima dos tempos atuais. Tempos de pura irracionalidade humana. O garoto Aylan só tinha 3 anos. Os pais dele tentavam imigrar para a Grécia, fugindo das atrocidades do seu país – a Síria.

Mas um naufrágio no meio da viagem transformou um sonho em pesadelo. O pequeno Aylan morreu afogado e estampou as páginas dos principais jornais mundo afora. Uma vida tão jovem, ceifada de forma brutal.

A imagem do garotinho sírio sendo recolhido do mar por um soldado turco nos torna pequenos demais, insignificantes demais para tentar entender um absurdo desses. Somos humanos mesmo? Ou somos bichos? Somos humanos, sim, porque os bichos sabem viver em harmonia. A gente, não.

5 COMENTÁRIOS

  1. Alguém com a devida competência queira dizer por onde anda a ONU? Sim, aquela poderosíssima Instituição mundial sempre apostos em defesa dos direitos de bandidos e criminosos? Quanta INFÂMIA!

  2. O problema está em nós, pois uma cena dessa choca, e choca muito. O texto é forte, mas muito verdadeiro, pois o Amor ao próximo acabou, hoje o que vemos é que as pessoas estão pouco se importando com o próximo. Vemos isso todos os dias em todos os locais. Todo mundo é sempre mais apressado que o outro e meu problema é sempre maior que o do outro. Ninguém se importa em beneficio próprio em prejudicar o bem comum. A humanidade é que estraga o mundo. Tenha um pedido em que Jesus diz ” Ame o próximo como a ti mesmo” e isso tá longe de acontecer. Infelizmente.

  3. Culpam a ONU 9que é, no mínimo, omissa) a Alemanha, a Inglaterra e todos os que o politicamente correto acusa; Sabem que há mais massa que cérebro mesmo no primeiro mundo. Mas, e os ditadores Líbios e africanos, principais responsáveis por criarem as condições que levaram à essa babárie? E o ISIS, que nossa esquerda quer dialogar? Bom não se levar pelo mais fácil, e sim pela sanidade nas discussões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome