Uma homenagem inesquecível e a música que encanta

0

A carreira musical do cantor e compositor petrolinense Geraldo Azevedo é inquestionável. A história da Philarmonica 21 de Setembro também. Unindo um ao outro, só podia acontecer o que aconteceu na noite de ontem (21), na Concha Acústica de Petrolina.

A homenagem da Philarmonica ao seu filho ilustre simplesmente foi antológica. A multidão que lotou a concha, logo após o desfile festivo pelos 124 anos do aniversário de Petrolina, certamente jamais esquecerá aquele momento, que fez parte da programação festiva do município.

Os arranjos da orquestra para canções magistralmente interpretadas por dez artistas locais – a exemplo de “Dona da minha cabeça”, “Dia branco” e “Moça Bonita”, entre tantas outras – emocionou e arrepiou as milhares de pessoas presentes na Concha.

Não precisa ser fã nem de Geraldo, nem da Philarmonica para reconhecer o espetáculo lindo que foi visto ontem. Basta apenas saber apreciar uma boa música. A prefeitura, através da Secretaria Executiva de Cultura, está de parabéns.

Do evento inesquecível de ontem, dá para se tirar uma lição: se um cachorro tem um dono que só o alimenta com osso, ele vai gostar apenas de osso. Na hora em que ele provar um filé mignon, o cachorro com certeza não vai querer outra coisa. Com a música também é assim.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome