Uma dia após implantadas, algumas telas de proteção na Orla de Petrolina são destruídas

4
Foto: Jonas Santos/PMP divulgação

Dentro das medidas mais rígidas de contenção ao novo coronavírus (Covid-19), que passam a vigorar a partir desta segunda-feira (13) em Petrolina, a orla fluvial – um dos pontos de maior movimento na cidade – recebeu telas de proteção. A ação foi adotada ontem (12) para evitar a circulação de pedestres e ciclistas no calçadão e na Porta do Rio, durante o período de proibição de uso desses espaços públicos. As telas foram instaladas em pontos específicos do calçadão e da ciclovia. A Porta do Rio também foi cercada, para impedir o acesso das pessoas interessadas em usar o equipamento.

O objetivo do bloqueio foi sinalizar à população acerca da interdição, maneira que a administração municipal encontrou para conscientizar o público e ordenar o espaço. A partir desta segunda-feira, as equipes de fiscalização da prefeitura vão atuar com rigor nos locais. O maior desafio das autoridades públicas, no entanto, é a falta de conscientização e educação por parte de muitas pessoas em relação à doença. Segundo informações recebidas pelo Blog, um dia após a colocação das telas, algumas já foram destruídas por parte de frequentadores da orla, inconformados em não poder novamente circular pelo local.

O decreto emergencial que determina a interdição da orla, Parque Municipal Josepha Coelho e demais equipamentos públicos destinados à prática de atividades físicas, foi publicado na última sexta-feira (10) e está disponível no Diário Oficial Eletrônico do município. A Prefeitura de Petrolina reforça que o descumprimento das medidas de prevenção à Covid-19 significa assumir a responsabilidade de colocar em risco a saúde pública. A desobediência pode ser denunciada ao poder público, por meio da Central de Atendimentos do Sistema de Segurança Pública Municipal, nos telefones 153 ou (87) 98106-7310 (WhatsApp).

4 COMENTÁRIOS

  1. Acho desnecessário esse tipo de ação, pois quem faz caminhada na Orla são pouquíssimas pessoas, e, com certeza, o distanciamento entre essas pessoas são mais de 20 metros, e também, não está comprovado em nenhum lugar do mundo, que esse isolamento chamado de social, acho que deram esse nome para dar um ar de seriedade, é eficaz na não transmissão do vírus. Não existe a vacina ainda, não, mas tem medicamentos que comprovadamente previnem a doença, então que se faça a distribuição desses medicamentos gratuitamente, sai mais barato do que se gastar com cercas e policiamentos. Nos Estados Unidos foi comprovado, está comprovado, que a transmissão se deu muito mais naqueles que estavam isolados, até mesmo porque quem está isolado não pega sol etc,etc. Os medicamentos que previnem a doença são muito, mas muito mesmo, mais baratos do que aqueles indicados pelos órgão oficiais de saúde. Vamos deixar esse complexo de vira lata em acreditar apenas nas coisas que vem da OMS lá da Noruega, são muitos os médicos e cientistas brasileiros que dizem isso, só porque não são do Estrangeiro não se acredita neles? 01(um) comprimido de IVERMECTINA se comprado em escala, não vai custar mais do que R$ 3,00, e isso pode evitar mortes, tem casos comprovados, a África é um exemplo, lá os Governos distribuem IVERMECTINA ou similar para o combate a verminose que lá é altíssima por conta de lá não haver saneamento, e por conta do povo lá tomar a IVERMECTINA, os índices de COVID19 são baixíssimos. A Prefeitura de ITAJAÍ já está fazendo isso, distribuindo IVERMECTINA e ou a CLOROQUINA. Claro que são medicamentos baratos, não importam aos grandes laboratórios que fazem campanha contra e divulgam na mídia, patrocinando inclusive viagens a Europa Deus sabe a quem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome