A torcida petrolinense e o futebol ‘chocho’ da seleção

7

torcida seleção areia branca_640x360Mais uma vez a torcida saiu às ruas para festejar o triunfo da seleção brasileira. Em Petrolina, não foi diferente. Em vários pontos da cidade, a exemplo da Avenida São Francisco, no bairro Areia Branca (foto), tinha muita gente ostentando seu orgulho pela seleção de Felipão.

Mas a pergunta que fica, até o momento, é: festejar o que? Orgulhar-se de que?

Com um futebol ‘chocho’, a seleção brazuca vem se arrastando até agora. Na primeira fase da Copa, venceu a Croácia sem convencer (A Croácia, inclusive, que foi ‘garfada’ pela arbritragem); empatou com o México da mesma forma; só conseguiu deslanchar contra Camarões.

Mas, peraí? Camarões já estava desclassificado quando enfrentou o Brasil. Ah tá…chutar cachorro morto é fácil demais.

E olhe que nem dá para criticar quem nós esperávamos demais. Neymar não vem fazendo maus jogos, mas jogar sozinho fica impossível. Tem sido assim até ontem.

A seleção não tem um meia de ligação para armar as jogadas, já que Oscar era quem deveria ter essa função. Mas só apareceu no primeiro jogo. Felipão preferiu não levar Kaká, o cara que poderia ser esse elo entre defesa e ataque. Agora, está arcando com as consequências.

Enquanto isso, Neymar se sobrecarrega e o pobre do Fred vira alvo fácil de críticas. Mas ele não tem culpa. Atacante de referência na área, Fred precisava de um meia eficiente para lhe acionar como deveria. Mas quem vem fazendo essa função (pasmem!) é o goleiro Júlio César. Pois é.

Rifando bolas como o Brasil fez ontem contra o Chile não vai dar. Ou a seleção melhora sensivelmente o nível, ou um novo ‘Maracanazo’ se aproxima (e se não for contra a Colômbia, poderá ser contra uma Holanda, Alemanha ou até mesmo a Argentina, que também faz uma Copa ‘meia boca’). A preocupação, que talvez poucos tenham percebido, diz respeito a uma declaração dada pelo preparador físico da seleção, Paulo Paixão, dias antes da estreia na Copa.

Paixão reconheceu que o nível dos jogadores ainda não era o ideal e que a torcida brasileira provavelmente só iria ver a seleção que todos sonham no sétimo jogo da Copa. Detalhe: o sétimo jogo é justamente o da grande final. Com esse futebolzinho apresentado até agora, será que chega até lá?

Por enquanto, só nos resta voltar à pergunta inicial: festejar o que?

7 COMENTÁRIOS

  1. Ahtá! Melhor não jogar nada e chegar na final do que jogar muito e ser eliminada. Sim, neste último jogo também fomos ‘garfada’ pela arbritragem (copiei e colei a frase aqui!)

  2. Festejar a dura vitória do Brasil contra o time extremamente profissional do chile, que tinha bom ataque e boa defesa e foi responsável por eliminar a atual campeã a espanha (que tinha o time formado em sua maioria por estrelas do futebol europeu!)
    A seleção brasileira não tem nada de choca não, apenas pegou um adversário forte o bastante para dar trabalho à seleção! Deixem de tanta hipocrisia! E salve o goleiro Júlio césar nosso anjo da guarda!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome