Sindsemp perde a paciência com Prefeitura de Petrolina e servidores podem antecipar estado de greve

1

walber e diretores sindsemp

O Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (Sindsemp) pode antecipar uma paralisação cogitada para o próximo dia 16, quando realizará uma assembleia ordinária com a categoria. Em primeira mão, o presidente da entidade, Walber Lins, disse ao Blog, que o motivo se deve ao fato de a prefeitura ter cumprido apenas parte da promessa feita na última terça-feira (30/08) pelo secretário de Orçamento, Planejamento e Gestão, Geraldo Júnior, em relação aos 5,67% referentes à segunda parcela do reajuste dos servidores, previsto em lei.

Na ocasião Geraldo Júnior assegurou, diante de Walber e de dezenas de servidores que foram até a Casa Plínio Amorim, que o reajuste – referente a categorias sem lei específica sobre a matéria – seria pago na quarta-feira (31/08). Entretanto os profissionais da saúde ficaram novamente sem receber o benefício.

Segundo Walber, que veio acompanhado de Edson Santos (diretor de política sindical) e Jeremias Júnior (1° secretário do Sindsemp), esse problema vem ocorrendo durante toda a gestão do prefeito Julio Lossio. “O calendário de pagamento dos servidores da saúde nunca foi igual ao das demais categorias”, lamentou. Ele informou que os profissionais devem receber seus salários na próxima segunda-feira (5), mas sem o reajuste, “que talvez seja pago numa folha suplementar”, e também não terão o retroativo do mês de julho.

O presidente do Sindsemp considera “inadmissível” o fato, uma vez que Geraldo comprometeu-se de viva-voz com a categoria, na última terça. Além disso o secretário teve quase um ano para que a prefeitura cumprisse sua parte. “Quem é técnico sabe que programação e planejamento vêm antes de tudo”, alfinetou. Walber disse ainda que a gestão sabia que atingiria o patamar dos R$ 14 milhões a mais de receita, o que daria para honrar com seus compromissos perante a categoria. Ele revelou ainda que, numa reunião com a atual secretária de Saúde, Mara Gonçalves, semana passada, foi informado que Geraldo não teria repassado as informações para gerar o pagamento, uma vez que os recursos humanos da pasta são distintos dos demais da prefeitura.

Estado de greve

Walber rebateu o argumento de Gerado quanto ao pagamento do retroativo de julho no mês de setembro, juntamente com os vencimentos dos servidores. “Após a apuração (da receita) no dia 30 de julho, ele teria condição de ter pago na folha de agosto”, ressaltou. Diante desse cenário, a paciência dos servidores, conforme o presidente, está chegando ao fim porque não estão vendo a prefeitura cumprir a lei. “Tenho sempre dito que nós somos pacíficos, mas não somos passivos. Ele tem que honrar a palavra. Se até o dia 15 de setembro a administração não pagar o reajuste e o retroativo, nossa pauta do dia 16 é o estado de greve”, cravou.

Reforçando as palavras de Walber, o diretor de Política Sindical do Sindsemp, Edson Santos, fez questão de tranquilizar os servidores da saúde. Ele reiterou que o sindicato vem tomando todas as medidas no sentido de que a administração cumpra a lei. “Estamos ouvindo bastante os servidores e é possível que até bem antes do dia 16 possamos fazer algumas ações”, finalizou. A reportagem tentará um contato com o secretário Geraldo Júnior sobre o assunto.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome