Secretário de Cultura de PE ressalta importância do Clisertão: “Alcança dimensão mais ampla”|

0

marcelino secretário

Em sua terceira edição, o Congresso Internacional do Livro, Leitura e Literatura no Sertão (Clisertão) será aberto oficialmente logo mais, às 19h30, na UPE/Campus Petrolina, com uma vasta programação que prosseguirá ao longo desta semana, até sexta-feira (6), recheada por debates, minicursos, lançamentos de publicações, ecoleituras e peças teatrais – entre outras atividades. Representando o Governo de Pernambuco, o secretário de Cultura Marcelino Granja ressaltou ao Blog a grandeza que o Clisertão vem tomando, a ponto de já fazer parte do calendário de eventos do estado.

Marcelino explicou que ao contrário de outros eventos igualmente relevantes em Pernambuco, a exemplo da Fliporto ou da Bienal do Livro, o Clisertão, por se tratar de um congresso literário, é mais abrangente porque envolve um conjunto de atividades relacionadas ao universo do livro, da leitura e da literatura. “Tanto nos aspectos de fruição, da formação, divulgação, intercâmbio e troca de experiências”, ressalta. Ele frisa que justamente por ter essa dimensão mais ampla, o Clisertão é atualmente o principal evento respaldado pela Secretaria de Cultura/Fundarpe.

O secretário fez questão de destacar que uma das novidades do evento, embora já seja uma marca do Clisertão, será a palestra magna de abertura, a cargo este ano do escritor e membro da Academia Brasileira de Letras (ABL), o baiano Antonio Torres. “É uma palestra sempre imperdível”, afirma.

Já nesta terça (3) ele dará continuidade pela terceira vez a um projeto de sua pasta, intitulado ‘Outras Palavras’, que distribuirá kits literários de escritores da terra agraciados com o Prêmio Pernambuco de Literatura, considerado hoje o principal do Estado. Serão 15 livros de cinco escritores pernambucanos em destaque no prêmio, que irão gratuitamente para alunos da Escola de Referência, da rede pública estadual, na cidade.

Escuta

Na quarta (4) pela manhã, Marcelino adiantou detalhes sobre a primeira escuta no estado, que acontecerá em Petrolina, com vistas à elaboração de um plano estadual nesse setor. A ideia é reformular a Lei Coutinho, tornando-a ainda mais abrangente. “Será na verdade um plano estratégico de dez anos (decenal) que guiará o governo do estado no apoio à política do livro, leitura, literatura e biblioteca”, explica.

Realizado pela Universidade de Pernambuco (UPE)/Campus Petrolina (Colegiado de Letras) em parceria com o Governo de Pernambuco, através da Secult e Fundarpe, o Clisertão conta com o apoio da Prefeitura de Petrolina, da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe), da Empetur e instituições da rede privada da cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

dezenove − cinco =