Secretária-executiva de Petrolina diz que conscientização no combate à violência contra mulheres tem de ser também dos homens e reforça pedido por delegacia 24h

0

Aproveitando os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, lembrados na última segunda-feira (10), além dos 21 dias de Ativismo no Combate à Violência contra as Mulheres e o Dia Nacional de Mobilização dos Homens com esse mesmo objetivo (6 de dezembro), a secretária-executiva de Juventude, Direitos Humanos, Mulher e Acessibilidade, Bruna Ruana Nunes, apresentou ontem (11), na Casa Plínio Amorim, um balanço das ações realizadas até o momento para reverter esse cenário.

De posse de números nacionais e locais relacionados à violência de gênero, Bruna enfatizou que as agressões às mulheres não são apenas físicas, mas também no campo psicológico, moral e patrimonial (entre outros). Bruna citou o caso do médium João de Deus, acusado de assédio sexual, que ganhou grande repercussão no país.

Depois das primeiras denúncias, a gente viu que mais de 60 mulheres já procuraram as autoridades”, afirmou a secretária-executiva, acrescentando que um dos trabalhos da Pasta é empoderar as mulheres a não ter medo de denunciar, além de encaminhá-las aos centros de acolhimento existentes em Petrolina.

Bruna destacou ainda que sua secretaria trabalha em conjunto com a Vara de Enfrentamento da Violência Doméstica, indo a locais onde existem pessoas em situação de medidas socioeducativas. Um exemplo, segundo ela, é a Fundação de Atendimento Socieducativo (Funase), onde muitos internos foram enquadrados na Lei Maria da Penha. “A gente tem a oportunidade de escutá-los para depois debater e dar a chance de transformá-los, porque a gente vive ainda numa sociedade machista, onde as pessoas naturalizam a violência e não percebem muitas vezes que de fato isso é um crime”, ponderou.

Por este motivo, Bruna acredita que os homens, e não somente as mulheres, tem um papel crucial nessa luta de conscientizar a sociedade acerca da violência doméstica e familiar.

Delegacia 24h

Sobre a implantação da Delegacia 24 horas – luta constante e de muito tempo das mulheres e autoridades de Petrolina – Bruna disse já ter reforçado esse pleito ao deputado estadual eleito Antônio Coelho, que levantou essa bandeira de luta como uma das principais de sua campanha. “Isso é urgente. A gente não pode mais esperar. A maioria dos crimes contra a mulher acontece durante os finais de semana”, avaliou. Ela contou que na prefeitura a equipe idealizou um ‘plantão mulher’, no qual todas as segundas-feiras são feitos atendimentos, sem qualquer agendamento, para receber esses casos. “Todas as nossas profissionais são mulheres, então a gente tem todo esse cuidado para que essas vítimas se sintam, de fato, resguardas”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome