Rodovia que liga distrito de Salgueiro à BR-232 pede socorro e morador clama por providências

por Carlos Britto // 14 de julho de 2015 às 13:31

pe de umãs pede socorroOs buracos espalhados pela PE-483, que liga o distrito de Umãs, na zona rural de Salgueiro (PE), Sertão Central, à BR-232, colocam em perigo a vida de quem precisa trafegar pelo local. Por isso mesmo o morador Sávio Barros clama por providências urgentes do poder público, ao mesmo tempo em que cobra lideranças políticas da região para que façam sua parte e pressionem o governo do estado a realizar a recuperação asfáltica da rodovia.

Confiram:

A comunidade de Umas, distrito de Salgueiro (PE), reclama da má conservação da PE-483,que liga o distrito à BR-232. São 13 km de asfalto, que atualmente se encontram várias partes esburacadas, ocasionando prejuízo e perigo de morte dos transeuntes que utilizam a estrada.

Pedimos às autoridades que tomem providências para que a PE não se acabe.

Umãs, atualmente, conta com uma representatividade na Câmara Municipal de Salgueiro, de dois vereadores: Juliano Barros, alinhado com o prefeito, e Pedro de Compadre, oposição ao prefeito, que  ocupa hoje o cargo de presidente da Câmara.

Segundo informações de pessoas conhecedoras no assunto, com uma caçamba do material asfáltico se resolve o problema dos buracos.

Além dos buracos, a estrada precisa de roço nas laterais, além do acostamento que é quase inexistente.

A própria comunidade, vez por outra, faz tapa buracos com terra, que em poucas horas se solta.

A PE é bastante movimentada por conta das obras de Transposição do Rio São Francisco. Por causa disso a rodovia está se acabando, pois são muitos os  veículos pesados que por ali trafegam diariamente, além de uma infinidade de outros veículos e motos.

A rodovia é da responsabilidade do governo do estado, mas é dever de todas as autoridades lutarem para trazer a melhoria para o nosso povo, seja em que esfera governamental for.

É preciso uma intervenção maciça, não só mandar requerimentos ou fazer discursos. Ação, autoridades! o povo de Umãs não quer correr risco de isolamento, pois isso significaria um atraso nas conquistas do nosso povo.

Sávio Barros/Leitor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *