Região do Médio São Francisco terá rede de assistência médica interestadual

por Carlos Britto // 17 de abril de 2009 às 12:43

A primeira etapa do projeto para implementação da Rede Interestadual de Atenção à Saúde do Vale do São Francisco está em pauta no 1º Fórum Macrorregional, que termina nesta sexta-feira, 17, em Juazeiro. Gestores de saúde de 55 municípios participam do encontro, com a presença de equipes das secretarias estaduais de Saúde da Bahia e de Pernambuco e do Ministério da Saúde (MS). Está sendo discutida a situação da saúde na região e foram traçadas estratégias para o projeto de pactuação da rede, que será encaminhado para aprovação na Comissão Intergestores Bipartite (CIB) dos dois estados e pela Comissão Intergestora Tripartite Nacional.

O projeto está em fase de estudos e avaliações e ainda não tem previsão para início do funcionamento da rede. Apesar disso, será apresentada nesse momento a carta de adesão aos municípios, sendo que já existe adesão formal do Ministério da Saúde, das secretarias de Saúde dos Estados da Bahia e Pernambuco e dos municípios de Juazeiro e Petrolina. Os termos estão sendo apresentados aos gestores dos 55 municípios, que deverão se manifestar numa carta de adesão ao projeto e à metodologia de elaboração. Serão levantadas as prioridades de saúde da macrorregião e esse processo foi precedido por reuniões com todos nas microrregiões Juazeiro, Senhor do Bonfim e Paulo Afonso, na Bahia, e Petrolina, Salgueiro e Ouricuri, em Pernambuco.

Durante o encontro, são apresentadas quais as prioridades, organização e investimento em saúde. De acordo com o diretor de Articulação da Rede em Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Adail de Almeida, “está sendo proposta uma instância de co-gestão da rede, que teria representação das duas secretarias de Estado da Saúde e das seis cidades dos municípios pólo. Essa instância tem que ter uma relação muito interativa e orgânica com o colegiado das microrregiões para que não descole das necessidades dos municípios. Essa instância é subordinada à instância aos Conselhos Gestores Bipartites (CIBs) e tem que atuar com diretrizes pactuadas”, explica.

Além dessa primeira iniciativa de parceria, existem outras demandas que envolvem o Crato (CE) e a necessidade de criação de rede interestadual, envolvendo Bahia, Alagoas e Sergipe na região de Paulo Afonso. Em outras regiões do Brasil também já existem movimentos nesse sentido, como informa Adail, a exemplo da região do Bico do Papagaio envolvendo o Oeste do Pará nas cidades de Conceição do Araguaia e Marabá e no Leste do Maranhão na cidade de Imperatriz, além do Norte do Tocantins com a cidade de Araguaerina.

Cristina Laura

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *