Reabertura de bares e restaurantes em Pernambuco será antecipada para 6 de julho

0
Foto: Ilustrativa/ Alexandre Gondim/JC IMAGEM

Os bares e restaurantes de Pernambuco terão a data para começar a retomar as atividades adiantada em uma semana. Pelo cronograma inicial do Plano de Convivência com a Covid-19 no Estado, o setor tinha previsão de retorno a partir do dia 13 de julho (etapa 7), com apenas 50% da capacidade. Seguindo os critérios do plano, como a curva epidemiológica tem mostrado tendência à estabilização nas primeiras semanas de retomada, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, por ora, já tem no cronograma a antecipação da flexibilização em uma semana. Destacando que esse planejamento não vale para 85 municípios do Estado que estão com índices elevados do coronavírus e, consequentemente, em atraso com o cronograma de reabertura de atividades. 

Seguindo esse novo cronograma, a retomada do setor deverá começar no dia 6 de julho (etapa 6). “Em diálogo com o setor, a Abrasel solicitou que a flexibilização das restrições fosse antecipada para a etapa 4 (dia 22 de junho) e, em seguida, reapresentou pedido para que a atividade passasse a integrar a etapa 5 (29 de junho). O comitê socioeconômico de enfrentamento ao coronavírus, considerando a relevância do setor para a economia e avaliando os indicadores monitorados pela Saúde, considerou segura a antecipação da reabertura, mas dentro da etapa 6 (a partir do dia 6 de julho)”, confirma a Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

A Associação Brasileiras de Bares e Restaurantes Seccional Pernambuco (Abrasel-PE) ainda esperava uma resposta do governo quanto ao pedido de adiantamento para o dia 29. “Agora, com a finalização dos protocolos, a gente acharia prudente que o governo  flexibilizasse pro dia 29 (de junho). Não queremos entrar em mais um mês com o fluxo de caixa paralisado, sem capacidade de pagamento e necessidade de reposição do estoque ou capital de giro”, diz o presidente da Abrasel-PE, André Luiz Araújo. 

A secretaria reforça que o Plano de Convivência segue aberto a ajustes e pode ter etapas antecipadas ou adiadas, “respondendo diretamente ao comportamento dos indicadores de saúde”. (Fonte: JC Online)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome