Quando a responsablidade é sempre dos outros

por Carlos Britto // 28 de janeiro de 2009 às 09:00

Continua repercutindo a proibição de shows e puxadas em Petrolina pela promotora Ana Rúbia. É verdade que os promotores de festas, os ambulantes, seguranças e quem vive de evento ficou prejudicado. Também é verdade que colocar o Distrito Industrial como opção é um despropósito. Mas ninguém ainda ouviu os pais e mães de jovens que são tragados por drogas, bebidas, brigas, tiros e toda sorte de mazelas que esses eventos também trazem. Não tiveram direito a opinião.
A imprensa toda noticiou o alto índice de garotos alcoolizados na última festa da orla, a mesma orla em que famílias sofrem com os abusos de gritos, desordem e músicas em altos decibéis. E não vale dizer que os moradores de lá são ricos e privilegiados, pois abomino a separação de cidadão classe A ou classe B e dai por diante. Pagam impostos como qualquer um e têm o direito ao merecido sossego também.

No meio de uma acalorada entrevista o vice-prefeito secretário Domingos Sávio me fez lembrar Antonio Carlos Magalhães que dizia que na Bahia tudo de ruim que acontecia no estado era atribuído a ele por seus adversários: Sobre o pátio de eventos próximo ao Hospital de Traumas ele disse irritado no rádio que “era mais uma herança ruim da antiga administração”.
É verdade sim que faltou visão estratégica para colocar ali o pátio de eventos, mas atribuir todos os defeitos e problemas a quem passou e se esquivar da responsabilidade de resolver não me parece correto.
Como também não me pareceu honesto desviar o foco sem a coragem de se indispor com uma argumentadíssima Ana Rúbia.
Ir de encontro a ela rende problemas e não traz os aplausos de quem interessa no ambiente político.

Quando a responsablidade é sempre dos outros

  1. Nely disse:

    Bom dia, Carlos Britto!

    Concordo com tudo o que você apontou. Porém penso que a promotora está sendo radical ao proibir música ao vivo em horário permitido em vários bares da cidade. Durante as audiências, uma fonte me contou que Ana Rúbia se gaba ao dizer que fechou tais e tais estabelecimentos. Mostra-se irredutível quando os empresários propõem acordos ou mudanças. Parece-me que ela está fazendo uso da campanha contra a poluição sonora para ganhar notoriedade…

  2. adeilson nunes barros disse:

    A Dra.Ana Rúbia tá coberta de razão.É INADIMISSIVEL

  3. elton de souza lima disse:

    A Dra.Ana Rúbia está coberta de razão,temos os espaços privados na cidade para promoção de eventos,agora não sei pq os promotores só querem utilizar locais públicos,trazendo transtornos para a maioria da comunidade.Eu como pai me preocupo bastante,pois a cada evento desse que acontece é uma discussão em casa pq fica muito dificil segurar nossos filhos.

  4. UMBERTO ALVES disse:

    Questão difícil de se resolver, pois envolve interesses que vão além da diversão. Não devemos condenar as pessoas que gostam de diversão, cada um se diverte à sua maneira. A idéia de transferir o pátio de eventos para o distrito industrial seria interessante se houvesse uma garantia de que a comunidade que reside próximo ao mesmo, não fosse se incomodar com o inevitável barulho que prejudica os tímpanos.
    Existe um consolo. Se Petrolina não poooooode; Juazeiro poooooode.

  5. Danilo da Silva Andrade disse:

    Acho que é uma decisão impensada, respeito muito a Drª. Ana Rubia, pelo seu trabalho junto a população, atendendo os anseios de toda uma comunidade.
    Por parte dela há a preocupação com a família, que cada vez mais está sendo destruida, está perdendo o sentido. Porém, gostaria de chamar a atenção para que estas decisões sejam tomadas com concordância da população, sejam feitas audiências públicas para assim entender as verdadeiras necessidades do povo.
    Há nesta grande cidade (Petrolina), outros assuntos inerentes a Promotoria Pública que precisam ser resolvidos, por exemplo, moro no Bairro José e Maria, quando acontece algum show no Trevo escuto toda o barulho, e isso não me incomoda tanto, quanto sentir o mau cheiro do RASO DA CATARINA, é um odor issuportável, só quem mora alí pode realmente falar. Outro problema grave é a falta de água nos bairros de Petrolina, quantas famílias ficam sem água para beber durante o dia, precisam passar a noite acordado juntanto água pra poder no outro dia ir trabalhar e deixar água suficiente para seus filhos. Outro Problema gravissimo, quem nunca assistiu a Compesa quebrar os asfaltos de Petrolina, alguns recem inaugurados, e ao terminar o serviço fica o asfalto parecendo a cara de quem as quebrou, são estas coisas que acho que são mais urgentes.
    Porém, a Promotora está no caminho certo, jovens estão se desviando, indo para o lado errado, drogas e bebidas (a droga mais acessivel), é por estas e outras que acho que ela vai dar um basta em muita coisa errada que os gestores públicos fazem vista grossa.

    Danilo da Silva Andrade

  6. wagner disse:

    ela pode esta correta no que faz mas tem que ter a opiniao da populaçao sobre o asunto como falou o DANILO DA SILVA e colocar os eventos no distrito nao vejo problema algum porque é uma area sem residencias possui uma localizaçao boa se a prefeitura quiser faz um super espaço para festas tanto publicas como particulares basta querer e ter coragem

  7. Jose Carlos de Oliveira disse:

    Esse assunto é realmente importante, mas acho tb que a Promotora ao proibir esses eventos esta privilegiando uma parcela da população ( muito pequena por sinal) pos analise quantas residncias existem no trajeto, por exemplo dos trios no Petrofolia, acho que a promotoria tem masi com o que se preocupar, como por exemplo a prostituição, a infantil tb, na calçada da casa dos promotores (Dra Ana Rúbia, inclusive) e pq nao se faz nada, e os crimes que acontecem em Petrolina e a promotoria nao cobra solução, a exemplo do travesti morto proximo ao viaduto?…entao concordo com os que dizem que a Dra Ana Rúbia esta atuando para os holofotes, com resposta a Promotoria Publica.

    Um abraço

    José Carlos

  8. Gustavo Regadas disse:

    PORQUE NÃO COPIAMOS O MODELO DE FORTALEZA ONDE EXISTE A CIDADE FORTAL? NÃO É A TOA QUE HJ FORTALEZA TEM UMA DAS MAIORES MICARETAS DO PAÍS.

  9. Odilon Barros disse:

    Já que foram gastos tanto dinheiro publico para a construção do pátio de eventos, ao lado do Centro de Convenções, poderia ser construido mais algumas obras estruturais como banheiros públicos dotados de sistema de saneamento, melhorando a higiene e com melhor aparelhamento para uso dos frequentadores e mais alguns equipamentos para apoio aos policiais que lá vão fazer a segurança nos eventos. O Palco por exemplo, se colacado com a frente para o lado do Shopping ou para o lado da Areia Branca, pouco incomodaria aos pacientes do hospitam de traumas, pois o que mais poderia atrapalhar no hospital seria a altura do som, de resto acredito que não prejudicaria ao hospital. Pois o Pátio de Eventos está quase pronto, já se gastou muito dinheiro e trata-se de um local estrategico, pois dispõe de área de estacinamento, acessos do transporte caletivo, devido a sua localização, esta acessivel a todos os moradores dos bairros e do centro da cidade. É um caso a ser estudado antes de qualquer outra medida radical e autoritária.

  10. barbosa disse:

    A Dra.Ana Rúbia tem que ser aplaudida de pé,pois entendo que o que ela tá propondo nada mais é do que o bem estar das pessoas.Quem estiver discordando com certeza ainda não é pai de familia e não tem filhos na fase adolescente,que não pode ouvir uma propaganda de puxada ou festa de camisas,que ficam azucrinando o juízo da gente pra comprar e liberar para estes eventos,que na maioria das vazes não tem o minimo de segurança.Outra coisa que deve salientar é que estes promotores de eventos da nossa cidade só pensam no lucro que obtém que cada vez é absurdo,e quando acontece os problemas com nossos filhos dentro do espaço da festa eles caem fora e não querem assumir nenhuma responsabilidade.

  11. Ari disse:

    A Dra Ana Rubia pode até ter razão em alguma pontos, mas nós n temos festas todos os dias, as pessoas tb n querem ser incomodadas com nada. Em todo lugar tem carnaval nas orlas e muitas outras festas, já pensou se um promotor proibe o carnaval de salvador???
    Quem mora na orla está sujeito a esses incomodos, se n quizerem ser incomodados vão morar nos condominios fechados.

  12. envergonhado disse:

    Domingos Sávio não está interessado no bem do povo de Petrolina e nem da segurança. Quem conhece ele dos tempos de Sebrae vai saber do que eu falo…Já a dra. Ana Rúbia, é preocupada sim com o bem estar do povo de Petrolina.

  13. Barakuma disse:

    Qualquer cidadão que se predispõe a entrar numa discussão sobre um determinado assunto. A primeira coisa a ser feita é procurar conhecer a legislação pertinente, para não correr o risco de falar um monte de bobagem como foi o caso da Nely que fez o primeiro comentário da matéria em pauta. Quero dizer que Dra Ana Rúbia é realmente um pouco radical em suas decisõesm mas o que ela está fazendo é determinado pela lei dos ruidos sonoras. A expressão britânica “DURA LEX SED LEX” PRECISA SER TRADUZIDA. “DURA É A LEI, MAS É A LEI”. Por tnto a lei é para ser cumprida e não para ser discutida. Cumpra-se!!!!

  14. Eduardo disse:

    Acredito que a Sra. Ana Rúbia está correta em sua atitude, pois a localização do pátio de eventos fica muito próximo de hospitais públicos, cuja área deve ser respeitada.
    Lei é Lei e deve ser respeitada por todos!
    Quanto aos comentários do Vice Prefeito, acredito que primeiramente ele tem que lembrar que foi eleito com parte dessa “herança” deixada pelo antigo governo, já que durante seu programa de governo, que foi veiculado durante a sua campanha eleitoral, ele tanto implorou que obteve o voto dos eleitores de Odacyr, fazendo levar a crer que concordava e que parabenizava a gestão passada. Por essa razão, entendo que ele não pode dizer nada agora e deve sim é trabalhar para melhorar a nossa cidade.

  15. Professor disse:

    O Barakuma quis se fazer de entendido em Direito, mas, faltou um pouco de conhecimentos gerais: “DURA LEX SED LEX” é LATIM meu amigo.
    E qto a dra. Ana Rúbia ela não está fazendo mais do que a obrigação dela enquanto promotora. E muito bem diga-se de passagem. Pena que só é uma.

  16. Barakubama disse:

    Concordo com o lapso de minha parte, mas para o assunto em pauta vc precisa entender é das leis brasileiras pertinentes e não das linguas estrangeiras. Por tanto aconselho, professor, que estudar o assunto e volte para a discussão.

  17. Barakubama disse:

    CORREÇÃO:

    Concordo com o lapso de minha parte, mas para o assunto em pauta vc precisa entender é das leis brasileiras pertinentes e não das linguas estrangeiras. Por tanto aconselho, professor, que vá estudar o assunto e volte para a discussão.

  18. Dr. Aluilce Vasconcelos disse:

    A Bandeira Nacional tem duas palavras bem pouco lembradas por nós: ORDEM E PROGRESSO.
    O que nossa promotora tem feito é tentar colocar ORDEM nesta cidade. Vejo que todas as ações dela são coerentes e pautadas nos limites da lei.
    Quanto a onde realizar os shows, quanto mais longe melhor. O povo quer mesmo é “pão e circo!”. O povo vai para o show mesmo que seja distante. Tenho pacientes no SUS que dizem não ter dinheiro para comprar um remédio, mas se houver um show pago eles rapidamente conseguem o dinheiro e ainda me questionam se o medicamento pode ser ingerido com bebida alcóolica.
    Mais uma vez parabenizo a promotora e sei que a mesma tem pulso firme e não vai ceder à pressão de A ou B para voltar atrás.
    aluilce@terra.com.br

  19. Binleide Obama disse:

    Quer uma opinião pra acabar essa discursão besta? Vamos fazer
    evento em cima da ponte presidente Dutra, que já esta larga do nosso lado.
    E para quem entende de arquitetura a ponte ficou parecendo um picole: Do portão pra lá , o palito e do nosso lado o sabor congelado

    É isso Dra. Ana vc tem toda razão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.