Professor da Univasf realiza pesquisa para aumento da qualidade e das exportações da manga do Vale do São Francisco

1

univasfA manga, um dos carros-chefes da produção irrigada do Vale do São Francisco, vem sendo objeto de um estudo realizado pelo professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Acácio Figueiredo Neto, do colegiado de Engenharia Agrícola.

Segundo a Univasf, o objetivo principal do estudo é fornecer subsídios técnicos e científicos na adoção de tecnologias para determinação do ponto de colheita e conservação pós-colheita da manga, contribuindo para garantir a sustentabilidade da cultura da manga e o fortalecimento do agronegócio na região. Segundo Acácio os primeiros resultados são animadores,

Verificamos que existe a possibilidade da colheita ser um pouco adiada, em média de 15 a 20 dias, com aplicação de cera para uma colheita mais avançada para exportação, o que permite o consumo de uma fruta mais doce”, esclareceu.

Outra meta da pesquisa é comparar com o equipamento que está sendo importado, que são as análises não destrutivas. Nesta análise é que se tem o cunho inovador, ou seja, a pesquisa permitirá que a fruta chegue ao consumidor com a qualidade organoléptica (capaz de impressionar os sentidos humanos), mais superior, em um ponto de maturação adequado, o que possibilitará uma fidelidade do cliente e uma possível agregação de valor, já que grande parte da produção do Vale tem fins de exportação, ou mesmo, para outros mercados.

A manga no Vale do São Francisco promove uma produção aproximada de 250 mil toneladas por ano, respondendo por mais de 90% das exportações brasileiras dessa fruta in natura. A região contribui para que o Brasil seja o 4º maior exportador mundial de manga com quase 10% do mercado.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome