Prefeitura de Petrolina manifesta apoio a agricultores da Reserva Tatu-bola

por Carlos Britto // 08 de dezembro de 2022 às 16:30

Foto: Reprodução

Nesta quinta-feira (8), o secretário de Agricultura, Gilberto Melo, esteve presente na Audiência Pública realizada na Câmara Municipal de Vereadores de Petrolina que ocorreu a pedido de representantes dos agricultores familiares que residem na área do Refúgio da Vida Silvestre (RVS) Tatu-bola. Na ocasião, foram apresentadas as demandas mais urgentes dos trabalhadores rurais além do abaixo-assinado para revogação do Decreto nº 41.546 de 16 de março de 2015.

Durante a audiência, estiveram presentes os representantes Isália Damacena (Sintraf) e Nilberto Ribeiro (Associação de Agricultores de Aranzel), a bióloga Denise Lima, e o secretário de Agricultura, Gilberto Melo, que se pronunciou em nome do prefeito Simão Durando. Em sua fala, apontou todo o empenho que o prefeito tem demonstrado ao já ter realizado duas reuniões sobre o assunto, inclusive, a última delas com os prefeitos Vilmar Capellaro, de Lagoa Grande, e George Duarte, de Santa Maria da Boa Vista, municípios que estão compreendidos na área de 110 mil hectares da RVS Tatu-bola.

Como resultado inicial dessas reuniões, um grupo de trabalho foi montado para que o Decreto nº 41.546 de autoria do Estado, possa ser revisto e até mesmo revogado, visto que cerceia alguns direitos das centenas de famílias de agricultores, como adquirir empréstimos para investir em suas plantações. Os três prefeitos se mostraram bastante sensíveis aos clamores e desejam oficializar um documento pedindo a mudança da RVS em Área de Proteção Ambiental (APA), o que possibilitará a estas famílias a produção de suas culturas, viabilizando seu sustento, além da segurança de suas terras.

“O prefeito Simão Durando tem se dedicado muito e alinhado com os prefeitos Vilmar e George, além dos procuradores e secretários de Agricultura dos municípios envolvidos, para viabilizar um caminho e assim ajudar todos esses agricultores. Sabemos que todos eles têm sofrido com a viabilidade negada de alguns direitos como ter acesso a energia elétrica em suas residências dentro da propriedade rural, e a fomentos concedidos para a agricultura familiar, o que é muito preocupante. O prefeito Simão tem aberto o caminho para que se possa pedir a suspensão de imediato desse decreto que rege a RVS”, destacou Gilberto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.