Policial Militar que foi chamado de “macaco” diz que irá processar presidente do PT de Curaçá

12
Foto: Reprodução/Print vídeo

A defesa do policial militar da Bahia, agredido e chamado de “macaco” durante uma ocorrência no bairro Vale dos Lagos, em Salvador, na quarta-feira (16), prometeu que irá processar o presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) de Curaçá e toda a diretoria da sigla envolvida na aprovação de uma nota de apoio a agressora, identificada como Libânia Maria das Torres. No perfil do Instagram, o PT de Curaçá alegou que o termo utilizado por Libânia para ofender o policial “não é racismo”

“Nós, do Partido dos Trabalhadores de Curaçá, reconhecemos a grandeza de suas [Libânia] lutas e, creditamos as palavras, que foram ditas não há racismo, mas a cultura nordestina e curaçaense, herdada de Lampião, de chamar policiais de macacos”, diz a nota publicada no dia 19 de setembro e assinada por Júlio Cézar Lopes, presidente municipal da sigla e candidato a vereador. 

O texto, ainda reforça: “Lamentamos o acontecido e reafirmamos o nosso respeito e solidariedade a ela e sua família”

“Como ele é o presidente do partido, vamos processá-lo. Caso o conteúdo tenha passado por uma reunião, por pessoas que também tenham sido coniventes, vamos processar também. Isso é lamentável e vai de encontro a toda uma história que o PT prega”, enfatiza Marinho Soares, advogado do policial militar. As informações são do Bahia Notícias.

Veja na íntegra, a nota publicada pelo PT de Curaçá: 

NOTA DE APOIO

A presidência municipal do Partido dos Trabalhadores – PT de Curaçá vem, de público, manifestar seu apoio à companheira Libânia Torres, por saber da sua caminhada de luta e de respeito às pessoas. Em todos os sentidos.

Nós, do Partido dos Trabalhadores de Curaçá, reconhecemos a grandeza de suas lutas e, creditados as palavras, que foram ditas não há RACISMO, mas a cultura nordestina e Curaçaense, herdada de Lampião, de chamar policiais de Macacos.

Ao mesmo tempo, lamentamos o acontecido e reafirmamos o nosso respeito e solidariedade a ela e sua família.

Curaçá-BA, 19 de setembro de 2020.

Júlio Cézar Lopes/Presidente do PT de Curaçá-BA

12 COMENTÁRIOS

  1. De agressora virou vitima, só faltou ela dar voz de prisão ao policial militar, mas esse defensor dela deve fazer isso em breve,
    ´partido dos trabalhadores” vergonha dos trabalhadores.

  2. Interessante estes Bolzominios ,dizem que não existe racismo, é tudo mi mi mi, mas quando se acho ofendidos, ai muda de figura, o Neymar que o diga.
    O mito de vocês diz que o nosso país é um paraíso, não existe isso aqui.

  3. Novidade nenhuma! Vindo desse partido lixo, não podemos duvidar de nada. É o famoso: “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço “, ou então: “Acuse-os do que você faz, chame-os do que você é “.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome