Petrolina começa contagem regressiva para chegada da tocha olímpica

4

tocha olimpica

A exemplo de Juazeiro (BA), a tocha olímpica – que já está no Brasil – passará por Petrolina no próximo dia 26. Um dos principais símbolos dos jogos será conduzido por cerca de 100 cidadãos, num percurso de aproximadamente 21 km. Ao todo, 17 bairros receberão o revezamento da tocha, que será finalizado na orla, onde acontece o evento de celebração.

Os 17 pontos escolhidos para a passagem da chama, foram distribuídos entre o Centro e periferia. A tocha percorrerá os bairros Ipsep, Jardim São Paulo, Cosme e Damião, João de Deus, Nova Vida I e II, Jardim Amazonas, Pedro Raimundo, Ouro Preto, Jardim Maravilha, Vila Mocó, Caminho do Sol, Areia Branca, Maria Auxiliadora, Colônia Imperial e São José.

Porta de entrada da tocha em solo pernambucano, Petrolina é uma das 82 cidades escolhidas pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para o revezamento. Para garantir que o evento aconteça de maneira segura, a prefeitura instalou uma comissão municipal, responsável pela organização do trânsito, pela assistência médica ao longo do trajeto do percurso e pela escolha das atrações para celebração final.

Analisando a relação dos candidatos com o esporte, a comissão também foi responsável por indicar ao COB alguns nomes dos petrolinenses para carregar a tocha olímpica pela cidade. Os escolhidos foram: Ivan Raimundo Pinheiro, ex-atleta da seleção brasileira de Handebol; Maria Aparecida dos Santos, ex-atleta; Josualdo Coelho da Silva, Justino Pedro e Francisco Daniel, representantes da Associação Petrolinense de Atletismo (APA); Ramires Santana Coelho, enxadrista; Inácio Rogério Granja, técnico da seleção petrolinense de Handebol; e Cintia Emanuela Alencar da Silva, atleta de judô.

O primeiro atleta olímpico representando Pernambuco foi Ivan Raimundo. Ele participou dos Jogos Olímpicos de Barcelona (1992) e Atlanta (1996). Hoje, atua como técnico esportivo em um clube da cidade e compara o sentimento de participar do revezamento em Petrolina com a emoção que sentiu ao participar dos jogos. “É um momento único. Assim como eu, minha família também está ansiosa. Acredito que Petrolina tem um grande celeiro de esportistas que podem chegar aonde eu cheguei e com a passagem da tocha pela cidade vai ser possível incentivar novas pessoas para que se tornem grandes atletas”, comenta.

A Olimpíada do Rio 2016 representará um momento singular no cenário esportivo mundial. É a primeira vez que um país da América Latina sedia os jogos. “Saber que Petrolina faz parte desse roteiro é muito gratificante. Vamos aproveitar a passagem da tocha para estimular a prática esportiva, e incentivar nossos atletas”, analisa o prefeito Julio Lossio.

Caminho

A tocha foi acesa no último dia 21 de abril, na cidade grega de Olímpia, na Grécia, e seguiu para Laussanne, na Suíça, onde fica a sede do Comitê Olímpico Internacional. De lá, veio para o Brasil no dia 3 de maio, em Brasília, e passa por 329 cidades em todos os estados até chegar ao Rio de Janeiro, quatro meses depois. Serão cerca de 90 dias de revezamento, 20 mil quilômetros percorridos, além de 10 mil milhas aéreas, com 12 mil condutores. O acendimento da pira na Cerimônia de Abertura dos Jogos será no dia 5 de agosto, no Rio. (fonte/foto divulgação: Ascom PMP)

4 COMENTÁRIOS

  1. Maria Aparecida dos Santos, nossa Nenega, um orgulho de Petrolina. Ex-jogadora da Seleção Brasileira de Handebol nos anos oitenta e noventa. Tinha um arremesso de amedrontar as adversárias. Merecida a homenagem tanto dela como de Ivan e toros atletas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

dezoito − 4 =