Pesquisa da Facape sobre novo coronavírus constata menos testagens em Petrolina no mês de setembro e mais mortes em Juazeiro

3
Foto: divulgação

A pesquisa sobre a evolução do novo coronavírus (Covid-19) no Vale do São Francisco, realizada pela Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina (Facape), constatou que no  mês de setembro o município sertanejo reduziu a quantidade de infectados. Pelo levantamento, foram registrados 1.237 novos casos, ante os 1.387 de agosto.

Os pesquisadores avaliam que os números foram influenciados pelos dois feriados do mês em que não foram feitos testes (dias 7 e 21), nos finais de semana. “Em agosto, ao contrário, sem feriados e com testagem, em um sábado foram confirmados 90 novos casos. Isto foi fundamental para que os novos casos em setembro não superassem agosto. Mesmo, também é importante dizer que a Secretaria de Saúde fez aproximadamente 1.000 testes a menos em setembro“, explicou o coordenador da pesquisa sobre a evolução da Covid-19 na região, Professor João Ricardo Lima

Em Juazeiro (BA) foram  realizados apenas 1.050 testes durante todo o mês de setembro – um sexto da quantidade de testes realizados em Petrolina.  É menos da metade do que foi testado em agosto. Com tão poucos exames, a quantidade de novos casos em Juazeiro caiu drasticamente (cerca de  62%).  Em setembro, com isso, Petrolina teve 267% mais casos novos do que Juazeiro.

Quando a pesquisa avalia a quantidade de óbitos, a situação se inverte nas duas cidades. Juazeiro teve quase o dobro de mortes, comparando a Petrolina, um aumento de 38% em relação a agosto. Petrolina teve queda na quantidade de novos óbitos em 50%. “Como os índices de isolamento das duas cidades são praticamente iguais, cerca de 38%, a única explicação possível para esta brutal diferença na quantidade de novos casos nas duas cidades é a enorme diferença de testagem. A pandemia ainda não acabou, não existe vacina, e outros países da Europa já estão vivenciando uma segunda onda de novos casos. Desta forma, para que a crise sanitária não piore a nossa crise econômica e social, é importante as pessoas se conscientizarem de que é preciso manter o distanciamento, usar máscara, álcool gel, evitar aglomerações. Este é, até o momento, o que podemos fazer“, alerta João Ricardo.

3 COMENTÁRIOS

  1. Menos testagem e casos aumentando, é isso? Mas não pode alarmar que é eleição. O povo tem de se aglomerar para enaltecer e eleger candidatos. kkk. Se joga povo! Se agora o atendimento já é precário, imagina depois das eleições. Se por mim, já sabe o que fazer pra subir. kk.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome