PCPE descobre desvio de quase R$ 600 mil na SES em itens da Covid-19

por Carlos Britto // 17 de novembro de 2022 às 18:33

Foto: PCPE/divulgação

Uma operação da Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), nesta quinta-feira (17), revelou um megaesquema que resultou no desvio de quase R$ 600 mil em itens que deveriam ter sido usados no tratamento de pacientes com a Covid-19. Foram cumpridos 11 mandados de busca de apreensão e um de afastamento de servidor público da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

O esquema criminoso, envolvendo pelo menos sete servidores da SES (incluindo um diretor administrativo), foi descoberto a partir de uma denúncia recebida pela própria secretaria. Durante a apuração foi identificada a ausência de comprovação do recebimento dos itens constantes em 15 requisições apontadas na denúncia, totalizando 800 mil em luvas descartáveis e 2 mil toucas. O valor total é de R$ 598.310,79.

Os desvios ocorreram no auge da pandemia, em 2020, até setembro de 2021. Parte desses itens deveria ter sido entregue no Hospital Geral de Areias e no Otávio de Freitas, ambos no Recife.

A investigação policial apontou que os materiais eram comprados em quantidade muito superior à necessária e com um preço muito alto (já que, em geral, estavam em falta no mercado).

As investigações foram conduzidas pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado. Os mandados, expedidos pela  Vara Única de Crimes contra a Administração Pública e Ordem Tributária do Recife, foram cumpridos na capital e em Barreiros, na Mata Sul de Pernambuco. Também houve cumprimento em Campina Grande, na Paraíba.

A operação da PCPE foi denominada “Escamotagem”, que vem do verbo escamotear (furtar com habilidade).

Envolvidos

Os nomes dos servidores não foram revelados oficialmente, mas a coluna Ronda JC apurou que entre os investigados estão um diretor geral de Administração (função gratificada, dispensado em 03/09/2021), um superintendente de Patrimônio e Apoio Logístico (cargo comissionado, dispensado em 11/03/2022), uma gestora de Logística (nomeada para cargo comissionado, exonerada em 12/03/2022) e uma coordenadora de Gestão de Frota (nomeada para cargo comissionado, exonerada em 03/09/2021), além de motoristas lotados na equipe de logística da SES.

Os suspeitos serão indiciados pelo crime de peculato (quando o servidor se aproveita do cargo para obter vantagem financeira). Também podem responder por lavagem de dinheiro e organização criminosa. (Fonte: JC Online)

PCPE descobre desvio de quase R$ 600 mil na SES em itens da Covid-19

  1. Siga reto. Desvio só à Direita disse:

    Mas para a “esquerda” o genocida é Bolsonaro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.