Oito municípios do Agreste e do Sertão decretam estado de emergência

por Carlos Britto // 15 de maio de 2009 às 20:13

Oito municípios decretaram situação de emergência no Interior de Pernambuco por causa da chuva. De acordo com a Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), 915 pessoas perderam as casas e estão morando com parentes e 209 estão em abrigos provisórios mantidos pelas prefeituras.

No Sertão, as chuvas castigaram Araripina, Exu, Quixaba, Águas Belas, Tacaratu e Granito. Em Exu, pelo menos dez casas foram destruídas. A prefeitura do município informou que cerca de 100 pessoas estão desabrigadas. A estradas que passam pelo município estão danificadas. Na zona rural, as pistas estão intransitáveis e 9 mil crianças estão sem aulas.

No Agreste, a situação é de emergência em Sanharó e Belo Jardim. Nesse último, o rio Bituri transbordou e uma idosa, que tentatava passar por uma rua no bairro do Bom Conselho, foi arrastada pela correnteza na noite da quarta-feira (13). Maria José de Lira, 75 anos, está desaparecida. Os bombeiros ainda fazem buscas na região.

Em São Caetano, no Agreste, na noite desta quinta-feira (14), as ruas do bairro Cabugá ficaram inundadas pelas águas do rio Ipojuca. Em Caruaru, também no Agreste, a enchente do rio também alagou vários bairros. Para evitar acidentes, à noite, foi cortado o fornecimento de energia na área ribeirinha. De acordo com os bombeiros, o abastecimento está sendo reestabelecido.

Segundo o tenente do Corpo de Bombeiros, Vieira de Melo, nesta sexta-feira (15) a situação está mais estável do que na quinta. “O volume de água na barragem de Belo Jardim está diminuindo e a tendência é que se estabilize”, disse.

O tenente, porém, alerta: “Num possível agravamento, recomendamos a quem mora perto do rio que vá para a casa de parentes e leve alimentação, remédios, roupas e comida, todos artigos de primeira necessidade”. Em caso de enchente, a população pode ligar para o 193 para pedir remoção.

Ainda segundo o tenente, 21 pessoas de Caruaru foram conduzidas para uma escola no centro da cidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *