Nova variante não foi detectada em Pernambuco e Delta ainda predomina, diz SES

por Carlos Britto // 01 de dezembro de 2021 às 09:00

Foto: Divulgação/Josué Damacena (IOC/Fiocruz)

A variante Ômicron do novo coronavírus (Covid-19) não foi detectada, até o momento, em Pernambuco. É o que aponta o resultado de mais um sequenciamento genético feito pelo Instituto Aggeu Magalhães (IAM/Fiocruz PE) em amostras de pacientes positivos para a Covid-19. O estudo revelou, ainda, que a linhagem Delta e suas sublinhagens continuam sendo a variante predominante no Estado.

Dos 42 genomas com qualidade para análise, 41 (97,6%) eram de pessoas infectadas com a variante Delta. Apenas um (2,4%) foi identificado como da linhagem da variante Gamma. As amostras, coletadas entre outubro e início de novembro, são de pacientes residentes dos seguintes municípios: Abreu e Lima (1), Afogados da Ingazeira (1), Camaragibe (1), Carpina (1), Caruaru (2), Jaboatão dos Guararapes (7), Jataúba (1), Nazaré da Mata (1), Olinda (2), Recife (21), Serra Talhada (3) e Vicência (1).

Pernambuco, atento à importância da vigilância genômica e entrada de novas variantes do SARS-CoV-2, como a Ômicron, tem realizado uma força-tarefa para monitorar a circulação das variantes no Estado. Prova disso são os sequenciamentos genéticos periódicos realizados pelo Aggeu Magalhães e a testagem da população com o Programa TestaPE”, pontuou o secretário estadual de Saúde, André Longo, que reforça, ainda, o papel da população no combate à pandemia. “Os cuidados para evitar a circulação de novas cepas devem continuar. O uso correto de máscara, a higienização das mãos, o distanciamento social e, principalmente, a vacinação, com o esquema de duas doses e a dose de reforço, são essenciais para o enfrentamento à Covid-19“.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *