No Araripe, prefeituras já fecham as portas

por Carlos Britto // 27 de março de 2009 às 12:00

O deputado Raimundo Pimentel, do PSDB, registrou, nesta quinta, que a Comissão de Negócios Municipais da Assembleia vai realizar uma audiência pública, ainda sem data definida, a respeito dos efeitos da crise financeira internacional nos municípios de Pernambuco.Na tribuna, o parlamentar alertou que os prefeitos da região do Araripe estão preocupados com a diminuição do repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Em razão disso, os gestores da localidade decidiram paralisar as atividades das prefeituras até a próxima segunda (trinta de março), no sentido de conscientizar a sociedade sobre as dificuldades financeiras. A decisão foi tomada na última quarta, durante reunião dos prefeitos do Araripe.

Segundo Raimundo Pimentel, o debate é importante, pois possibilitará esclarecer os débitos com o INSS que levaram à diminuição no repasse do FPM, além de permitir um melhor planejamento para as prefeituras. O deputado ressaltou, ainda, que o encontro pode contar com a participação de representantes da Secretaria do Tesouro Nacional, da Receita Federal, além de órgãos estaduais.

Fonte:Blog do Jamildo

No Araripe, prefeituras já fecham as portas

  1. Francisco Antonio Ramos disse:

    Em Ipubi, já foram demitidos 500 funcionários com cargos comicionados.

  2. leitor disse:

    Debate inútil.
    Município que se preza, que é moderno, administrado seriamente, com visão no futuro não esperneia atrás de FPM.
    Trabalha e foca seus melhores e maiores esforços em geração de receitas própria, ou seja retorno de ICMS e impostos locais. Discutir FPM é inútil, simplesmente porque pouco ou nada poderá ser feito. Recentemente o Governo Federal e o Congresso aumentaram o bolo de rateio do FPM em 1%. De nada adiantou. Os problemas vão continuar porque a origem histórica do engessamento das Prefeituras está relacionado a sua máquina abarrotada de gente. Tem que cortar fundo e adequar-se à realidade. A única sáida é estimular a economia e empreendedorismo que gere ICMS e impostos locais, o resto é conversa fiada. Prefeituras que possuem 10 % da população em seu quadro de pessoal estão fadadas eternamente à pedir esmola. Prefeitura não pode ser FIM, tem que ser MEIO.
    Município Receita 2008
    1- Lagoa Grande FPM 8.099.150,93 ICMs 946.968,40
    2-Sta. Maria da B. Vista FPM 12.148.726,13 ICMs 1.936.800,9
    3-Cabrobó FPM 9.446.009,29 ICMs 1.007.003,5
    4-Afrânio FPM 6.749.292,51 ICMs 556.904,58
    5-Belém SFco FPM 8.099.150,93 ICMs 2.607.840,7
    6-Dormentes FPM 6.749.292,51 ICMs 666.156,85

  3. leitor disse:

    continua….

    Fonte: SEFAZ – PE e http://www.tesouro.receita.gov.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *