Movimento Agroecológico lança pré-candidato à Alepe nas eleições 2022

por Carlos Britto // 25 de janeiro de 2022 às 14:58

Foto: divulgação

Tendo como bandeiras a Agroecologia, Agricultura Familiar e a Convivência com o Semiárido, o Movimento Agroecológico de Pernambuco – grupo formado por professores, pesquisadores, lideranças, jovens, coletivos, organizações e movimentos sociais – está apresentando a a pré-candidatura do biólogo Alexandre Pires a deputado estadual. Ele vai defender, nas próximas eleições, a criação e a efetivação de políticas públicas para o campo e a cidade, pautadas em torno dos princípios agroecológicos e do desenvolvimento sustentável.

Aos 46 anos de idade, Pires terá o papel de lutar pelas pautas que refletem o trabalho do Movimento Agroecológico, desenvolvido há décadas em Pernambuco, propondo ações a partir de experiências que estão dando certo e que servem de modelo para todo o mundo. A lista de reivindicações é extensa e abrange questões como o acesso à água limpa nas torneiras do Semiárido às periferias da região metropolitana; a produção e o acesso à comida saudável; o fortalecimento das feiras agroecológicas e da agricultura no campo e nas cidades; a geração de renda a partir das condições e potencialidades naturais e articulada ao combate à fome e à miséria.

Em especial esse trabalho é visível no Semiárido, que ocupa 87% de Pernambuco, sendo, inclusive, o local de origem do pré-candidato. Esse bioma apresenta um alto potencial econômico sem precisar destruir a Caatinga ou fazer o uso de agrotóxicos. “Como sertanejo e profissional que atua na assistência técnica há anos, posso afirmar que a convivência com o Semiárido através da Agroecologia cria as condições de vida digna e evita o êxodo, combate a fome e a pobreza, produz alimentos saudáveis, cria trabalho e renda, respeita as condições naturais e a cultura popular local”, destaca.

Nesse sentido, defender a Agroecologia, prática na qual Pernambuco é pioneiro, significa oportunizar aos agricultores e agricultoras ações e tecnologias sociais que as organizações estão aprimorando há anos no Semiárido brasileiro: formas de conservar e proteger a agrobiodiversidade, cisternas para acesso e melhor gestão da água, uso inteligente do solo, combate ao uso de agrotóxicos e de plantas transgênicas, assistência técnica permanente e resgate de técnicas agrícolas que respeitam a natureza. “Ao terem acesso a essas práticas, essas famílias podem ganhar uma nova perspectiva sobre sua própria existência. Agroecologia é isso: viver bem no campo”, frisa.

Sua pré-candidatura está se consolidando no Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), o qual defende bandeiras históricas do campo popular e democrático. A candidatura de Pires será uma oportunidade para ampliar as bases do partido no Interior do Estado, bem como para dar visibilidade à perspectiva política da Agroecologia.

Currículo

Alexandre Pires é natural do município de Iguaracy, Sertão do Pajeú. Filho de agricultores, saiu do vilarejo de Jabitacá e, desde os 14 anos, mora no Recife, onde se formou em Biologia. Depois, fez mestrado em Extensão Rural e Desenvolvimento Local, na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

Desde 2002 atua no Centro Sabiá, ONG que atua com Agroecologia há 28 anos no Estado. Desde 2011, atua na Articulação no Semiárido Pernambucano (ASA/PE), rede que influenciou fortemente o Programa de Cisternas. Também foi membro de conselhos e comissões de controle social de políticas públicas, como o Conselho de Segurança Alimentar de Pernambuco e a comissão que construiu a Política Estadual de Agroecologia e Produção Orgânica, sancionada em janeiro de 2021. “São espaços onde fui e sigo sendo defensor da agroecologia como caminho para promoção de uma sociedade mais justa e inclusiva”, finaliza.

Movimento Agroecológico lança pré-candidato à Alepe nas eleições 2022

  1. Manoel Pedro Braga Paes disse:

    Parabéns pela iniciativa, estamos no mesmo Barco.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.