Motoristas abastecem R$ 1 e exigem nota fiscal em protesto em Petrolina

5
(Foto: Blog do Carlos Britto)

Dezenas de motoristas se reuniram, hoje (10), para protestar contra o aumento da gasolina e percorreram alguns postos de combustíveis em Petrolina. Os motoristas abasteceram carros com R$ 1 do combustível e solicitaram a emissão do cupom fiscal.

Ao abastecer esse valor os manifestantes geram prejuízo ao posto, já que os impostos pagos pelo empresário sobre a nota fiscal não cobrem este custo.

Num comunicado distribuído nas redes sociais ontem (9), a informação era de que a manifestação também aconteceria em Juazeiro, mas a reportagem deste Blog não conseguiu informações se os motoristas da cidade baiana também aderiam ao movimento.

(Foto: Reprodução/WhatsApp)

Audiência pública

No final de fevereiro deste ano a Câmara Municipal de Petrolina realizou uma audiência pública para discutir o alto preço dos combustíveis na cidade. O debate reuniu entidades representativas do setor, além de políticos, Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Polícia Federal (PF), Instituto de Pesos e Medidas de Pernambuco (IPEM-PE), Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) e membros da sociedade civil.

Na ocasião, um dono de posto rebateu denúncias de cartel e disse que o preço dos combustíveis em Petrolina é praticado em cima do valor que é vendido na base da Petrobras de Juazeiro (BA). Ele ainda afirmou que os postos bandeirados são obrigados a comprar na distribuidora. Por isso, segundo Sérgio, não existe a uniformização de preços.

Também presente à audiência, a promotora de Justiça de Defesa da Cidadania de Petrolina, Ana Cláudia de Sena Carvalho, voltou a ressaltar que o MPPE continua trabalhando em cima de denúncias recebidas e rechaçou denúncias de conivência.

O advogado do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Pernambuco (Sindicombustíveis-PE), Luiz Ricardo de Castro Guerra, descartou a possibilidade de cartel e disse que a similaridade de preços é registrada no Brasil inteiro. O mesmo disse o delegado da Polícia Federal (PF) em Juazeiro, Enzo Rebelo. Ele destacou que, apesar das justificativas apresentadas, boa parte da sociedade ainda desconfia.

5 COMENTÁRIOS

  1. Aqui tem cartel SIM ,,,,,Alguns postos que trabalha com o preço menor e ameaçados pela associaçao dos donos de Postos de Petrolina…..Tem uma pessoa aqui que e arrendatario de varios postos que ele que faz com quer os preços fique elevados os preços….Essa Pessoa tem na media 8 a 10 postos e so a Policia Federal e Ministerio Publico investigar…..Porque quem esta pagando essa conta e nos Consumidores….POlICIA NELES

  2. Não dá pra se conformar!!! Não tem como o preço dos combustíveis de um posto situado no centro da cidade e com bandeira, possuir os mesmos valores de um posto sem bandeira localizado no interior do bairro José e Maria. Existem diferentes impostos por conta da localização dos imóveis, os investimentos são totalmente distintos, inclusive quantidade de funcionários etc. E outra… Nem em M.G, que é o estado da federação cujas alíquotas de impostos são as mais altas do país o valor dos combustíveis é tão alto. Nem em Brasília, que fica muito mais afastada dos portos petrolíferos do país e cujo metro quadrado de área dos imóveis é um dos mais caros o valor é tão alto quanto os de Petrolina. Por esses e outros motivos não há conformismo da minha parte. Não posso dizer que existe o crime de cartelização, porém, também seria muito mais difícil eu dizer que não existe.

  3. Mais que justo este protesto, os empresários locais maltratam os consumidores com preços altíssimos tem que recebe o troco. Apoio e vou participar.

  4. Tô aqui pensando como o custo do imposto é maior que o valor da nota. Alguém poderia explicar!. Pelo meu raso conhecimento, entendo que imposto é um valor percentual sobre o valor total faturado. Agora se me falarem que um trânsito grande no posto, pode impedir a entrada no estabelecimento de pessoas com intensão de abastecer com maior valor, fico mais tranquilo. Me expliquem aí.

  5. Desculpem os protestantes mas isso aí e nada é a mesma coisa, visto que os impostos vão parar nas mãos da quadrilha que mantém esse cartel, que é o governo. Se querem protestar vão até as refinarias da Petrobrás e quebrem tudo por lá, na ANP também, toquem fogo por lá, aí sim vocês irão dar um prejuízo grande à esta máfia. Podem ficar tranquilos que não vão prender todo mundo, e se prenderem a gente vai lá e derruba a bastilha! Contra bandidos de terno e gravata e os bandidos de farda só resolve na porrada!

Deixe uma resposta para Defensor da liberdade Cancelar resposta

Comentar
Seu nome

três − 1 =