Motoristas abastecem R$ 1 e exigem nota fiscal em protesto em Petrolina

5
(Foto: Blog do Carlos Britto)

Dezenas de motoristas se reuniram, hoje (10), para protestar contra o aumento da gasolina e percorreram alguns postos de combustíveis em Petrolina. Os motoristas abasteceram carros com R$ 1 do combustível e solicitaram a emissão do cupom fiscal.

Ao abastecer esse valor os manifestantes geram prejuízo ao posto, já que os impostos pagos pelo empresário sobre a nota fiscal não cobrem este custo.

Num comunicado distribuído nas redes sociais ontem (9), a informação era de que a manifestação também aconteceria em Juazeiro, mas a reportagem deste Blog não conseguiu informações se os motoristas da cidade baiana também aderiam ao movimento.

(Foto: Reprodução/WhatsApp)

Audiência pública

No final de fevereiro deste ano a Câmara Municipal de Petrolina realizou uma audiência pública para discutir o alto preço dos combustíveis na cidade. O debate reuniu entidades representativas do setor, além de políticos, Ministério Público de Pernambuco (MPPE), Polícia Federal (PF), Instituto de Pesos e Medidas de Pernambuco (IPEM-PE), Programa Municipal de Defesa do Consumidor (Prodecon) e membros da sociedade civil.

Na ocasião, um dono de posto rebateu denúncias de cartel e disse que o preço dos combustíveis em Petrolina é praticado em cima do valor que é vendido na base da Petrobras de Juazeiro (BA). Ele ainda afirmou que os postos bandeirados são obrigados a comprar na distribuidora. Por isso, segundo Sérgio, não existe a uniformização de preços.

Também presente à audiência, a promotora de Justiça de Defesa da Cidadania de Petrolina, Ana Cláudia de Sena Carvalho, voltou a ressaltar que o MPPE continua trabalhando em cima de denúncias recebidas e rechaçou denúncias de conivência.

O advogado do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Pernambuco (Sindicombustíveis-PE), Luiz Ricardo de Castro Guerra, descartou a possibilidade de cartel e disse que a similaridade de preços é registrada no Brasil inteiro. O mesmo disse o delegado da Polícia Federal (PF) em Juazeiro, Enzo Rebelo. Ele destacou que, apesar das justificativas apresentadas, boa parte da sociedade ainda desconfia.

5 COMENTÁRIOS

  1. Aqui tem cartel SIM ,,,,,Alguns postos que trabalha com o preço menor e ameaçados pela associaçao dos donos de Postos de Petrolina…..Tem uma pessoa aqui que e arrendatario de varios postos que ele que faz com quer os preços fique elevados os preços….Essa Pessoa tem na media 8 a 10 postos e so a Policia Federal e Ministerio Publico investigar…..Porque quem esta pagando essa conta e nos Consumidores….POlICIA NELES

  2. Não dá pra se conformar!!! Não tem como o preço dos combustíveis de um posto situado no centro da cidade e com bandeira, possuir os mesmos valores de um posto sem bandeira localizado no interior do bairro José e Maria. Existem diferentes impostos por conta da localização dos imóveis, os investimentos são totalmente distintos, inclusive quantidade de funcionários etc. E outra… Nem em M.G, que é o estado da federação cujas alíquotas de impostos são as mais altas do país o valor dos combustíveis é tão alto. Nem em Brasília, que fica muito mais afastada dos portos petrolíferos do país e cujo metro quadrado de área dos imóveis é um dos mais caros o valor é tão alto quanto os de Petrolina. Por esses e outros motivos não há conformismo da minha parte. Não posso dizer que existe o crime de cartelização, porém, também seria muito mais difícil eu dizer que não existe.

  3. Tô aqui pensando como o custo do imposto é maior que o valor da nota. Alguém poderia explicar!. Pelo meu raso conhecimento, entendo que imposto é um valor percentual sobre o valor total faturado. Agora se me falarem que um trânsito grande no posto, pode impedir a entrada no estabelecimento de pessoas com intensão de abastecer com maior valor, fico mais tranquilo. Me expliquem aí.

  4. Desculpem os protestantes mas isso aí e nada é a mesma coisa, visto que os impostos vão parar nas mãos da quadrilha que mantém esse cartel, que é o governo. Se querem protestar vão até as refinarias da Petrobrás e quebrem tudo por lá, na ANP também, toquem fogo por lá, aí sim vocês irão dar um prejuízo grande à esta máfia. Podem ficar tranquilos que não vão prender todo mundo, e se prenderem a gente vai lá e derruba a bastilha! Contra bandidos de terno e gravata e os bandidos de farda só resolve na porrada!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome