Manifestação anti-Bolsonaro no Recife tem vereadora agredida com spray de pimenta e homem ferido no olho; autoridades se manifestam

4
Foto: reprodução

Ainda repercute em Pernambuco e no restante do país a ação da Polícia Militar (PM) para dispersar os manifestantes do ato público ocorrido na manhã de ontem (29) no Recife, no Centro do Recife, contra o presidente da República, Jair Bolsonaro. O movimento criticava a condução do governo federal frente à Covid-19, que já causou a morte de mais de 460 mil pessoas no país (segundo dados atualizados), ao mesmo tempo em que reivindicava vacinação em massa para os brasileiros e um valor maior para o auxílio emergencial.

Apesar da mobilização pacífica, inclusive com muitas crianças e idosos, os manifestantes foram surpreendidos com a ação considerada truculenta por parte da PMPE. A vereadora Liana Cirne tentou impedir a ação dos policiais e acabou levando spray de pimenta no rosto.

Já um homem acabou atingido no olho por uma bala de borracha disparado por um dos PMs. Informações extraoficiais dão conta de que o homem, identificado por Daniel Campelo da Silva, de 51 anos, havia perdido o globo ocular do olho esquerdo atingido pela bala e ele não fazia parte da manifestação. A operação gerou críticas por parte de lideranças políticas e instituições pernambucanas. Uma delas foi o senador e presidente da Comissão de Direitos Humanos na Casa, Humberto Costa (PT). Ele pediu uma apuração rigorosa das agressões. “Do mesmo modo como ocorreu em todo o país, o ato vinha sendo realizado de forma pacífica”, destacou. Ele também se solidarizou com a vereadora e os manifestantes agredidos. “O ato ocorreu com respeito às normas de distanciamento social e de proteção individual”, completou.

O Coletivo Juntas também se pronunciou, bem como a vereadora Dani Portela – ambas do PSOL. Elas cobraram um posicionamento do governador Paulo Câmara (PSB), tachando o Estado de “negligente” no episódio (confiram nota na íntegra).

MPF

O Ministério Público Federal (MPF) também se manifestou, por meio de nota:

A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão em Pernambuco (PRDC/PE), órgão do Ministério Público Federal (MPF) ao qual incumbe o monitoramento e apuração de violações de direitos humanos, vem, por meio desta nota, externar preocupação frente a conduta das forças policiais durante as manifestações populares ocorridas no Recife/PE, neste sábado (29). A PRDC receberá as denúncias sobre o ocorrido e encaminhará às autoridades competentes para atuação.

As imagens divulgadas ao longo do dia indicam uso desproporcional da força por agentes do Estado, inclusive com gás lacrimogênio, spray de pimenta e balas de borracha.

A PRDC/PE ressalta que restrições não fundamentadas ao pleno exercício das manifestações e protestos sociais constituem medidas violadoras de direitos humanos e, como já apontou o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas, os Estados têm a responsabilidade, no contexto das manifestações pacíficas, de promover e proteger os direitos humanos e impedir que se vulnerem estes direitos (A promoção e proteção dos Direitos Humanos no contexto das manifestações pacíficas, Resolução 25/38 do Conselho de Direitos Humanos, A/HRC/25/L.20, par. 2, 11 de abril de 2014). É necessária, portanto, ampla e rigorosa apuração sobre os fatos noticiados no dia de hoje. Denúncias à PRDC podem ser feitas por meio do MPF Serviços (portal ou aplicativo de smartphone).

Paulo Câmara

Da parte do Estado, a primeira a se manifestar foi a vice-governadora Luciana Santos (PCdoB), a qual afirmou que a operação não foi autorizada pelo governador Paulo Câmara. O chefe do Executivo fez um pronunciamento pouco tempo depois, após reunião como o secretário de Defesa Social, Antonio de Pádua, ele anunciou o afastamento temporário do comandante da operação e dos PMs envolvidos nas agressões, até que a corregedoria da Secretaria de Defesa Social (SDS) conclua a investigação sobre os fatos, determinada pelo governador.

Atualizada às 9h18

4 COMENTÁRIOS

  1. Você leio a reportagem-” ele não fazia parte da manifestação”, o sr que foi vítima sequer estava na manifestação, talvez vc nao tenha sido vítima de uma polícia despreparada, para falar merda.
    Que os responsáveis, seguidores do imbecil do BOLZO sejam devidamente punidos.

  2. Esses milicos bolsonaristas só agem dessa forma, quando é manifestação da oposição a esse governo, isso é retrato do que prega o Bozo. Essa Sra. acima deve estar levando vantagem ao defender um presidente bosta desse, o pior da história. Fora BOLSONARO, e que seja urgente, não aguentamos mais isso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

18 − 8 =