Investigado pela Operação ‘Águia de Haia’, prefeito de Uauá questiona decisão da justiça

0

olímpio cardoso filho - prefeito uauáO prefeito de Uauá, no Norte da Bahia, Olímpio Cardoso Filho (PDT), um dos 10 políticos que permanecem com os bens bloqueados pela justiça após a Operação “Águia de Haia”, encaminhou nota na tarde desta quinta-feira (3) ao site Bahia Notícias, informando não ser correta a acusação de irregularidade.

O gestor afirmou que “a empresa KBM INFORMATICA (Kells B. Mendes ME) não recebeu nenhum centavo da prefeitura, visto que o secretário de Educação, ao saber que a empresa possuía processos na justiça”, cancelou a licitação.

Ainda de acordo com a nota, a procuradoria do município já solicitou o desbloqueio das contas do prefeito, mas, devido à greve do judiciário, a decisão se mantém inalterada. Ele confirma que os documentos foram todos apresentados à Polícia Federal (PF) durante as investigações.

Investigação

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) determinou o bloqueio dos bens de 10 prefeitos baianos após as investigações da operação ‘Águia de Haia’, deflagrada pela PF, que identificou desvios de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Segundo o Bahia Notícias, a polícia suspeita que o esquema tenha desviado o montante de R$ 57 milhões em verbas federais para o uso exclusivo na área da educação. O registro dos autos, no entanto, não foram localizados nos sistemas da Justiça Federal ou do TJ-BA. (foto/reprodução)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome