Inclusão de atividades religiosas como serviço essencial é aprovada na Casa Plínio Amorim e Professor Gilmar vira alvo de críticas

3

O projeto de lei 037/21 de autoria do vereadores Josivaldo Barros (PSC), Diogo Hoffmann (PSC), Osinaldo Souza (MDB), Alex de Jesus (Republicanos), Júnior Gás (Republicanos) e Capitão Alencar (Avante), propondo a inclusão de atividades religiosas em Petrolina como serviço essencial, foi aprovado por ampla maioria na sessão remota desta terça (27), que acabou de ser encerrada. Mas como polêmicas já fazem parte da rotina da Câmara Municipal, a discussão de hoje não foi diferente.

Tanto na primeira quanto na segundo votação, a matéria recebeu 17 votos favoráveis. Apenas o Professor Gilmar Santos (PT) votou contrário, alegando que o projeto vai de encontro às recomendações das autoridades sanitárias sobre a questão das aglomerações.

Gilmar ainda bateu forte no segmento evangélico da cidade, o principal articulador para que o projeto avançasse na Casa Plínio Amorim. Citando versículos bíblicos, o vereador tachou os colegas de Legislativo de “hipócritas”, criticou interesses financeiros de grandes líderes evangélicos em relação à medida e citou várias mortes de representantes religiosos causadas pela Covid-19.

Aborrecidos mais uma vez com o oposicionista, alguns vereadores da base aliada devolveram as argumentações de Gilmar proferindo palavras duras. O mais contundente foi o líder da bancada governista, Ronaldo Silva (DEM), que mandou o petista “tomar vergonha na cara” e respeitar os demais pares da Casa.

3 COMENTÁRIOS

  1. Ronaldo Silva, vereador baixaria. O vereador Gilmar está corretíssimo. É hipócrita essa bancada evangélica e a liderança religiosa em Petrolina, no Brasil, como um todo. O sol é para todos, o coronavirus também. Lembro que o vírus não está nem aí para esse projeto de lei. Atinge a todos os pecadores sobre a face da terra. Ou tem alguém nessa Câmara ou nas igrejas que se arroga sem pecados. As igrejas, como qualquer outro local de aglomeração é vetor de propagação de vírus. O problema não é o culto, não é Deus, é a fortuna que deixa de entra nos cofres milionários das igrejas, que deveria pagar imposto, pois Jesus pagou: a César o que é de César. Igrejas que deveriam não dar, pois nada têm e, sim entregar o que de graça receberam. Esse é o verdadeiro ensino de Jesus. Chega de encher o bolso de supostos obreiros que não testemunham com a vida. Chega de exploradores da fé ou ingenuidade alheia. Chega de ganhar dinheiro fácil. Chega de trabalhar de graça, os obreiros sem remuneração, para encher os bolsos de meia dúzia. O véu do templo se rasgou de cima para baixo. Hoje, o homem sincero fala com Deus de qualquer lugar sem templos, cujo principal objetivo é arrecadar dinheiro fácil. Quanto ao fato de mandar um parlamentar que tem o direito de opinar tomar vergonha na cara é, da parte do vereador Ronaldo uma canalhice. Quem deveria tomar vergonha na cara é o povo que votou em um vereador MEDÍOCRE como você.

  2. O vereador Gilmar Santos está corretíssimo em questionar, ser contra essa ideia estapafúrdia. A pressa de abrir as igrejas nós sabemos que é nada mais que os líderes religiosos, que de religiosos não tem nada e o olho grande é no dízimo dos pobres que deixam de comer pra dar boa vida aos pastores hipócritas. Vereador Gilmar Santos, é o único que trabalha em prol da população, os outros não sabem o que acontece na cidade, são uns verme sanguessuga. Esse Ronaldo é quem tem que tomar vergonha na cara, tirar a buzanfa da cadeira, parar de enganar seus eleitores, respeitar o Professor, Vereador Gilmar, voltar pra sala de aula, e o Professor Gilmar ensinar a lição de casa. Como votaram num ser tão desprezível como esse Ronaldo e tantos outros?

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

dois × 1 =