Fiscais da Vigilância Sanitária de Petrolina apreendem quase 100 kg de carne clandestina em feira livre do José e Maria

2
Foto: Ascom PMP/SMS divulgação

Fiscais da Agência Municipal de Vigilância Sanitária (AMVS) de Petrolina visitaram na manhã desta segunda-feira (7) as feiras livres da cidade com o objetivo de averiguar a procedência das carnes vendidas nesse locais. O órgão já tinha alertado que, a partir da reabertura do matadouro municipal, na última quinta-feira (3) iria iniciar esse procedimento para conferir se o produto tem certificado ou não. Durante a ação na feira do bairro José e Maria, zona norte da cidade, foram apreendidos cerca de 95 quilos de carne sem este selo.

Desde a reabertura do matadouro, os abates voltaram a ser realizados. O espaço tem capacidade para abater de 100 a 500 animais por dia e funciona 24 horas. Com isso, desde sexta-feira (4), a Vigilância Sanitária tem atuado na fiscalização com relação à comprovação de procedência seguida pelos estabelecimentos, para saber se todas as exigências sanitárias foram cumpridas.

Para o diretor-presidente da AMVS, Marcelo Gama, as fiscalizações são para assegurar produtos de qualidade às pessoas em Petrolina. “Iniciamos desde a última sexta-feira (4), fiscalizações pelos ambientes que comercializam carnes. Essa ação visa a garantir aos consumidores alimentos com qualidade e higienização adequada. A apreensão de hoje ocorreu pela não comprovação de procedência do animal. Com isso, recolhemos o produto“, explicou.

Procedimento

O criador que for comercializar a carne – seja bovina, ovina ou suína – precisa levar os animais vivos até a sede do Abatedouro, que fica no bairro Pedra do Bode. Ao chegar ao local os animais são levados a um curral, onde passam por um processo de limpeza, e em seguida vão para o abate. Há ainda o acondicionamento e transporte da carne em veículo com câmara fria até o destino final, seja nas feiras livres ou nos demais estabelecimentos que vendam carne.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

um × 3 =