Filho de mulher desaparecida há quase um ano em Petrolina acredita que único suspeito é o culpado: “Esperamos justiça”

0
Foto: divulgação

Há cerca de um ano os familiares da comunitária Maria do Carmo Oliveira Santos, de 59 anos, buscam respostas para seu desaparecimento, que permanece envolto num mistério até agora não esclarecido. Ela desapareceu no dia 23 de março de 2019, ao sair de sua casa no Residencial Vila Verde, Bairro Antonio Cassimiro, para trabalhar. Desde então, nunca mais foi vista. A chave desse mistério chama-se Antônio Salu Barbosa. Ele é ex-genro de Maria do Carmo e é considerado até agora o único suspeito pelo seu desaparecimento.

Na manhã de ontem (11), os parentes dela compareceram ao Fórum Dr.Souza Filho, Centro da cidade, onde aconteceu uma audiência com Antônio Salu que durou praticamente todo o dia. Segundo Wallace Nilson Oliveira Gomes, filho de Maria do Carmo, em todos os momentos o suspeito demonstrou frieza ao responder os questionamentos do juiz e sempre se disse inocente. Mas as afirmações não convencem a família.

Para Wallace, Antônio Salu está envolvido diretamente no desaparecimento de Maria do Carmo. Ele informou que esse processo ainda deve demorar porque o advogado do suspeito solicitou uma perícia sobre as provas que o comprometem. “Temos que esperar, porque infelizmente a justiça favorece o criminoso de alguma forma”, ressaltou Wallace, acrescentando que novas audiências ainda deverão ocorrer.

Apesar disso, ele afirmou que o trabalho está sendo feito para que tudo seja esclarecido e Antônio possa ser culpado pelo sumiço de sua mãe. Sobre essa convicção, Wallace revelou que na noite que recebeu uma ligação pedindo um resgate de um suposto sequestro da sua mãe, as investigações da polícia mostraram que o chip do celular era do suspeito. “Temos a esperança de que ainda seja feita a justiça”, completou. As informações são do repórter Wanderley Alves para o Programa Carlos Britto, da Rural FM.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

dois × quatro =