Fernando Filho diz que privatização da Eletrobras vai ajudar na revitalização do Rio São Francisco

18

O Ministro de Minas e Energia Fernando Filho (PSB) conversou com este Blog sobre a proposta de privatização da Eletrobras e suas consequências para os sertanejos.

Segundo ele, essa decisão permitirá um melhor gerenciamento para a revitalização do Rio São Francisco com o fortalecimento da Chesf, que vai recuperar o seu protagonismo:

A decisão de propor a democratização do capital da Eletrobras, além de corajosa é uma excelente aposta no futuro.

Melhorar a gestão da empresa e atrair recursos novos é a saída que vai permitir que seja possível gerenciar a revitalização do Rio São Francisco.

Nesse novo cenário, a Chesf, que estava perdendo condições de responder aos desafios do Nordeste, recuperará seu protagonismo, conduzindo a revitalização do Rio São Francisco e atuando ativamente na expansão da geração com foco nas energias renováveis.

A nova Eletrobras segue um modelo de êxito adotado em diversos países como Portugal, França e Itália, que transformaram suas estatais de energia elétrica em grandes corporações que atuam no mundo inteiro e mantêm sua identidade nacional.

Depois desse processo vamos ter uma nova Eletrobras, como uma Vale do setor elétrico.

Além disso, a União manterá poder de veto na administração da companhia, garantindo que decisões estratégicas no setor sejam preservadas.

18 COMENTÁRIOS

  1. Geralmente, as vendas de patrimônio público sempre gera discurso sobre o valor. Antes se anuncia valorizações, depois de vendido muitas críticas e alegações de que jogaram fora por uma bagatela o patrimonio do povo brasileiro. Bem, eu não sou contra a esta privatização. São duas necessidades, uma de melhorar a eficiência do setor e outra a de fazer caixa no cofre público, neste momento. Veja que estas vendas sempre ocorrem em momentos de muita crise financeira. A minha preocupação, neste caso está no diciplinamento e definição do patrimônio vendido. Vejamos o caso Chesf. O nosso rio São Francisco agoniza hoje, exatamente porque não se levou em conta alguns aspectos: 1 – as fontes de abastecimento do rio São Francisco ( chuvas e aquíferos) são intangíveis, instáveis, dentro, próximo e ou muito distantes da sua bacia hidrográfica; 2 – a parte que podemos manter e ou preservar, matas ciliares e aquíferos se arrastam a séculos sob nossos descuidos e em regime de degradação predatória. 3- os investimentos públicos em barragens foram feitos em nome da Chesf e por isto ela opera o rio como se a água dele fosse, esclusivamente, uma força motriz a serviço dela na produção de energia, não somente como necessária ao desenvolvimento econômico do nordeste, mas principalmente, como fonte de renda, também importante, para Chesf; 4 – outros investimentos deixaram de ser feitos na defesa de partes como do baixo São Francisco. A foz ficou sem um equipamento de controle no nível mínimo necessário ao baixo e contra a invasão do rio pelo mar; 5 – as normas de controle e ou a obediência delas não contemplaram a segurança necessária contra uma sequência maior de anos sêcos. A produção de energia em primeiro lugar, até que se esgote o rio.
    Muitos grupos de trabalho e muitas reuniões aconteceram anos a fio e, nem por isto evitamos a crise que ameaça toda população San franciscana e suas atividades econômicas e sua estabilidade social.
    Em resumo, quem comprar a eletrobrás se sentirá também dona do Rio São Francisco ao ponto de continuar comprometendo o nosso direito de viver com dignidade e protegendo o rio,
    como o nosso maior parceiro?
    Pensemos um pouco sobre esta segurança de há muito negligenciada.

  2. Se o PT é contra , então deve ser algo muito positivo . Dilma e Lula desviaram dinheiro da Eletrobras e dividiram com o PMDB , numa época que destruíram o São Francisco e deixaram nessa situação atual . Existe propaganda melhor para a venda ?

      • AQUELE DINHEIRO TODO QUE TEMER LIBEROU DE EMENDAS PARA COMPRAR DEPUTADOS FOI DE ONDE? SE LIGA CARA SE DILMA QUISESSE ELA POSERIA TER COMPRADO TODOS OS DEPUTADOS TBM E ESTARIA NO PODER ATE HOJE… NÃO ESTOU DEFENDENDO PT NÃO, ESTOU FALANDO DO TEMER QUE GASTOU BILHOES E AGORA QUER VENDER A ELETROBRAS PRA COBRIR O ROMBO. E VC SABE MUITO BEM QUE AQUELAS EMENDAS CHEGA MUITO POUCO AOS MUNICIPIOS A MAIORIA É DESVIADA. VOCE QUE NAO ENTENDE DE POLITICA DEVERIA FICAR CALADO. ATE OS SALARIOS DO SERVIDOR TEMER QUER CONGELAR. DIOTA É QUEM DEFENDE UM CARA DESSE.

  3. Essa privatização não vai mudar muita coisa, apenas vai fazer caixa para o governo que ainda terá poder de controle sobre as ações e decisões da empresa, vai ser apenas mais uma companhia de fornecimento operando sob reserva de mercado. Sem concorrência não há formação de preços, vão continuar sendo tabelados pelo governo. Ou seja, vamos continuar tendo a 6ª tarifa mais cara de energia do mundo para a indústria, e a 14ª para as residências. Mas é bom que se desmobilize o patrimônio estatal imobilizado, um cabide de empregos para vagabundos a menos para a gente sustentar.

  4. Parabéns, Fernandinho, os petitas rancorosos e cegos jamais terão a visão liberal dos temas, até porque é uma teta a menos para eles mamarem e um órgão a menos para eles saquearem, roubarem, falirem, privatize mesmo TUDO.

  5. A CHESF é uma empresa do governo federal. Os rios são patrimônio do Governo Federal. Aí se entrega a propriedade disso a empresas privadas. Aonde que isso vai beneficiar o rio São Francisco? A transposição foi UM DESASTRE para o Velho Chico. Um DESASTRE. O rio está secando a passos largos. A população de Petrolina, Juazeiro e toda a região às margens do nosso rio estão sendo prejudicados. Em Alagoas você atravessa o rio a pé. As águas do Atlântico estão invadindo o curso do rio porque a água doce não chega. Aí vem um ensandecido dizer que vender a CHESF vai fazer bem às populações às margens do São Francisco. Isso é não é nem ser omisso, é brincar e manipular a opinião pública para o desmonte do patrimônio nacional. Getúlio Vargas nunca foi comunista e criou muitas empresas em setores estratégicos. Os governos militares tinham aversão ao comunismo e criaram a CHESF. Aonde que não querer vender a CHESF seria comunismo, bolchevismo, trotskismo ou qualquer desses ismos? Essa ideologia pretensamente neoliberal atenta contra o povo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome