Estudantes da Univasf vão a Prefeitura de Petrolina cobrar linha de ônibus exclusiva para região do Campus Ciências Agrárias

20
Estudantes da Univasf protestam na Prefeitura de Petrolina. (Foto: Alieny Silva/Blog do Carlos Britto)

Os estudantes da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) continuam o movimento contra a mudança no transporte estudantil intercampi anunciada na última semana. Nesta terça-feira (28), as aulas voltaram a ser paralisadas em Petrolina (PE) e Juazeiro (BA). Na cidade pernambucana eles deixaram o Campus Sede, onde estavam concentrados, realizaram uma caminhada pelas ruas do Centro e depois tentaram invadir o prédio da prefeitura. Segundo informações, a intenção é cobrar uma rota de ônibus municipal que possa ser utilizada para chegar ao Campus Ciências Agrárias (CCA), na zona rural da cidade. A Prefeitura disse que vai enviar uma nota.

Como este Blog mostrou na última sexta-feira (24), os estudantes promoveram um protesto e conseguiram se reuniram com o reitor Julianeli Tolentino e o pró-reitor de Assistência Estudantil (Proae), Clébio Pereira Ferreira, para discutir possíveis ajustes nas novas rotas que estavam previstas para entrar em vigo no próximo dia 3 de setembro, conforme divulgado pela própria Univasf.

Durante a reunião de sexta, foi definido o adiamento das alterações nas rotas até que o semestre letivo 2018.1 seja concluído. Portanto, permanecem em vigor os atuais itinerários, que interligam os campi localizados em Petrolina e Juazeiro“, explicou a assessoria da instituição.

A assessoria também disse que seriam analisadas nos próximos dias as sugestões apresentadas pelos estudantes durante o encontro, no sentido de avaliar possíveis melhorias aos itinerários propostos pela Proae. “Quando estiverem concluídas, as novas rotas serão encaminhadas às representações estudantis para outras sugestões, e enviadas novamente à Proae para a definição final dos itinerários do Transporte Estudantil Intercampi. As novas rotas entrarão em vigor no início do semestre letivo 2018.2“, ressaltou a nota da Univasf divulgada na sexta.

20 COMENTÁRIOS

    • seu candidato…ocupar é muito diferente invadir…deixe de passar a mão na cabeça dessa gente…o interesse e troca troca é a raiz do mau dessa nação… seja um jornalista e não um militante…respeite as opiniões e publique a matéria de forma correta e não tendenciosa a fazer com que a comunidade de Petrolina interprete um ato Pacífico e direito como uma baderna, coisa que andou bem longe de acontecer

  1. No minimo duas informações estão “confusas” nesse título e no texto consequentemente. A primeira, como o “POVO” invade um espaço publico que é para o “POVO”, (FORA A INVERACIDADE DESSA INFORMAÇÃO, POIS OS ESTUDANTES PERMANECERAM DO LADO DE FORA), a segunda e não menos importante é o “EXCLUSIVA PARA O CCA”, os estudantes lutam por uma linha que possa ser usada também pela comunidade do C1. Lutam por passe livre no transporte municipal que beneficiará também os estudantes secundaristas. E LUTAM CONTRA ESSE MONOPÓLIO DESPREZÍVEL E IMORAL que comanda as linhas de transporte das cidades de PETROLINA E JUAZEIRO. Melhore seus textos. ATT

  2. seu candidato…ocupar é muito diferente invadir…deixe de passar a mão na cabeça dessa gente…o interesse e troca troca é a raiz do mau dessa nação… seja um jornalista e não um militante…respeite as opiniões e publique a matéria de forma correta e não tendenciosa a fazer com que a comunidade de Petrolina interprete um ato Pacífico e direito como uma baderna, coisa que andou bem longe de acontecer!

  3. Não vi ninguém invadindo a prefeitura!!!. Movimento estudantil pacífico.
    Teve funcionário da atual gestão q jogou café quente em estudante. Já foi prestado queixa na ouvidoria da prefeitura.

  4. Porque esse termo ” invasão ” ? Pelo que eu sei, a prefeitura é um local público, portanto não tem sentido “invadir ” o que é do povo

  5. Olá Carlos Britto, gostaria de retificar um detalhe da informação. Nós alunos queríamos entrar na prefeitura para ter um diálogo, e não invdir. O ato foi pacífico e na minha opinião não havia a necessidade de chamarem a a polícia com armas pesadas, somos estudantes e não black bloc

  6. Olá Carlos Britto, gostaria de retificar um detalhe da informação. Nós alunos queríamos entrar na prefeitura para ter um diálogo, e não invdir. O ato foi pacífico e na minha opinião não havia a necessidade de chamarem a a polícia com armas pesadas

  7. Isso mesmo tem que cobra acho engraçado tanto dinheiro recuperado da lava jato e outras falcatruas desse bando de políticos ladrão tem que investi na saúde, educação, e na segurança 👁👀

  8. Aproveitem enquanto podem, quando Bolsonaro for eleito presidente nao se permitirá mais invasão seja de prédios públicos ou privados. É melhor jairseacostumando.

  9. porque perfeitura mesmo? nao é a 1a. vez que estudantes correm para porta da prefeitura para reclamar algo, simplesmente vao para a porta da instituicao de ensino de vcs, garanto que nao vai faltar blog ou “jornalistas” para cobrir a noticia

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

10 + vinte =