Estudantes da Univasf vão a Prefeitura de Petrolina cobrar linha de ônibus exclusiva para região do Campus Ciências Agrárias

20
Estudantes da Univasf protestam na Prefeitura de Petrolina. (Foto: Alieny Silva/Blog do Carlos Britto)

Os estudantes da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) continuam o movimento contra a mudança no transporte estudantil intercampi anunciada na última semana. Nesta terça-feira (28), as aulas voltaram a ser paralisadas em Petrolina (PE) e Juazeiro (BA). Na cidade pernambucana eles deixaram o Campus Sede, onde estavam concentrados, realizaram uma caminhada pelas ruas do Centro e depois tentaram invadir o prédio da prefeitura. Segundo informações, a intenção é cobrar uma rota de ônibus municipal que possa ser utilizada para chegar ao Campus Ciências Agrárias (CCA), na zona rural da cidade. A Prefeitura disse que vai enviar uma nota.

Como este Blog mostrou na última sexta-feira (24), os estudantes promoveram um protesto e conseguiram se reuniram com o reitor Julianeli Tolentino e o pró-reitor de Assistência Estudantil (Proae), Clébio Pereira Ferreira, para discutir possíveis ajustes nas novas rotas que estavam previstas para entrar em vigo no próximo dia 3 de setembro, conforme divulgado pela própria Univasf.

Durante a reunião de sexta, foi definido o adiamento das alterações nas rotas até que o semestre letivo 2018.1 seja concluído. Portanto, permanecem em vigor os atuais itinerários, que interligam os campi localizados em Petrolina e Juazeiro“, explicou a assessoria da instituição.

A assessoria também disse que seriam analisadas nos próximos dias as sugestões apresentadas pelos estudantes durante o encontro, no sentido de avaliar possíveis melhorias aos itinerários propostos pela Proae. “Quando estiverem concluídas, as novas rotas serão encaminhadas às representações estudantis para outras sugestões, e enviadas novamente à Proae para a definição final dos itinerários do Transporte Estudantil Intercampi. As novas rotas entrarão em vigor no início do semestre letivo 2018.2“, ressaltou a nota da Univasf divulgada na sexta.

20 COMENTÁRIOS

    • seu candidato…ocupar é muito diferente invadir…deixe de passar a mão na cabeça dessa gente…o interesse e troca troca é a raiz do mau dessa nação… seja um jornalista e não um militante…respeite as opiniões e publique a matéria de forma correta e não tendenciosa a fazer com que a comunidade de Petrolina interprete um ato Pacífico e direito como uma baderna, coisa que andou bem longe de acontecer

  1. No minimo duas informações estão “confusas” nesse título e no texto consequentemente. A primeira, como o “POVO” invade um espaço publico que é para o “POVO”, (FORA A INVERACIDADE DESSA INFORMAÇÃO, POIS OS ESTUDANTES PERMANECERAM DO LADO DE FORA), a segunda e não menos importante é o “EXCLUSIVA PARA O CCA”, os estudantes lutam por uma linha que possa ser usada também pela comunidade do C1. Lutam por passe livre no transporte municipal que beneficiará também os estudantes secundaristas. E LUTAM CONTRA ESSE MONOPÓLIO DESPREZÍVEL E IMORAL que comanda as linhas de transporte das cidades de PETROLINA E JUAZEIRO. Melhore seus textos. ATT

  2. seu candidato…ocupar é muito diferente invadir…deixe de passar a mão na cabeça dessa gente…o interesse e troca troca é a raiz do mau dessa nação… seja um jornalista e não um militante…respeite as opiniões e publique a matéria de forma correta e não tendenciosa a fazer com que a comunidade de Petrolina interprete um ato Pacífico e direito como uma baderna, coisa que andou bem longe de acontecer!

  3. Não vi ninguém invadindo a prefeitura!!!. Movimento estudantil pacífico.
    Teve funcionário da atual gestão q jogou café quente em estudante. Já foi prestado queixa na ouvidoria da prefeitura.

  4. Olá Carlos Britto, gostaria de retificar um detalhe da informação. Nós alunos queríamos entrar na prefeitura para ter um diálogo, e não invdir. O ato foi pacífico e na minha opinião não havia a necessidade de chamarem a a polícia com armas pesadas, somos estudantes e não black bloc

  5. Olá Carlos Britto, gostaria de retificar um detalhe da informação. Nós alunos queríamos entrar na prefeitura para ter um diálogo, e não invdir. O ato foi pacífico e na minha opinião não havia a necessidade de chamarem a a polícia com armas pesadas

  6. Aproveitem enquanto podem, quando Bolsonaro for eleito presidente nao se permitirá mais invasão seja de prédios públicos ou privados. É melhor jairseacostumando.

  7. porque perfeitura mesmo? nao é a 1a. vez que estudantes correm para porta da prefeitura para reclamar algo, simplesmente vao para a porta da instituicao de ensino de vcs, garanto que nao vai faltar blog ou “jornalistas” para cobrir a noticia

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome