Equipe feminina do Distrito Nilo Coelho reforça campanha ‘Outubro Rosa’

por Carlos Britto // 16 de outubro de 2022 às 12:25

Foto: Ascom/DINC divulgação

A Campanha ‘Outubro Rosa’ ganhou o reforço, em Petrolina, das mulheres que integram a administração do Distrito de Irrigação Nilo Coelho (DINC). Em um gesto simbólico, elas mostraram a importância do movimento mundial de conscientização pela detecção precoce do câncer de mama e de útero. Vestindo uma blusa cor de rosa, 16 mulheres fizeram um registro fotográfico, representando uma corrente, passando a mensagem de união e apoio na luta contra a doença.

Para a analista contábil do DINC, Mariana Araújo, essa é uma campanha que sempre deve ser valorizada. “O outubro rosa é de suma importância. Além de fomentar o autoexame e demais cuidados, nos traz a consciência de que precisamos ter um estilo de vida equilibrado, na esperança de evitar essas enfermidades“, define Mariana.

Já a analista de atendimento, Vera Regina Saueressig, que também participou da ação, considera um momento importante para alertar o público feminino. “Estamos sempre envolvidas em diversas atividades e acabamos esquecendo de cuidar de nós mesmas. Então, o outubro rosa vem nos lembrar que precisamos nos cuidar e procurar fazer os exames preventivos”, frisa.

Números

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de mama é o tipo que mais acomete mulheres em todo o mundo, tanto em países em desenvolvimento quanto em desenvolvidos. Cerca de 2,3 milhões de casos novos foram estimados para o ano de 2020 em todo o mundo, o que representa cerca de 24,5% de todos os tipos de neoplasias diagnosticadas nas mulheres. As taxas de incidência variam entre as diferentes regiões do planeta, com as maiores taxas nos países desenvolvidos.

Para o Brasil, foram estimados 66.280 casos novos de câncer de mama em 2021, com um risco estimado de 61,61 casos a cada 100 mil mulheres.

Ainda de acordo com o Inca, todas as mulheres, independentemente da idade, podem conhecer seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. A maior parte da doença é descoberta pelas próprias mulheres.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.