Dr.Pérsio diz que mudança de horário das sessões na Casa Plínio Amorim tem conotação política e desabafa: “Não aceito imposições”

6

dr pérsioUm dos protagonistas da novela em que se transformou a mudança de horário das sessões plenárias da Casa Plínio Amorim, o vereador de oposição, Dr.Pérsio Antunes (PMDB), disse não ser contrário ao retorno das sessões semanais para as manhãs. O que ele afirma não aceitar é que o projeto, de autoria do seu colega de Legislativo, Ronaldo Silva, “seja empurrado de goela abaixo” na Casa.

A declaração foi dada pelo oposicionista na manhã desta quarta-feira (7) ao programa ‘Manhã no Vale’, da Rádio Jornal Petrolina. O vereador justificou ser favorável ao projeto, mas garantiu que todo esse movimento encabeçado por Ronaldo Silva tem interesses políticos por trás.

Segundo ele, o próprio autor do projeto foi um dos votos favoráveis à mudança das sessões para o turno da noite, e um ano depois resolveu voltar atrás. “O problema é que querem pedir votos à noite, na campanha do ano que vem, por isso querem que as sessões mudem de horário”, provocou Dr.Pérsio.

Ele disse ainda que não aceitará que esse assunto sirva de pretexto para questões pessoais, como estão querendo fazer, e voltou a criticar a administração municipal – da qual foi aliado. “Isso é coisa do ‘núcleo do mal’, só porque eu decidi sair do governo. Mas não vou aceitar perseguições, nem imposições”, completou.

Desculpas

Sobre o horário, Dr.Pérsio justificou que quando o debate é produtivo na Casa, o público comparece, independente se é durante o dia ou à noite. Ele aproveitou para se desculpar com representantes da imprensa, que decidiram abandonar a sessão de ontem, em protesto pelo projeto não ter entrado na pauta, como estava previsto.

Segundo o vereador, as críticas que fez foram por conta dos assuntos relevantes de ontem (homenagens aos Homens do Terço e a problemática relacionada às mulheres negras), com a presença de autoridades – não levados em conta pelos repórteres. Dr.Pérsio disse ser sensível ao esforço dos jornalistas e radialistas, que precisam editar suas matérias sobre as sessões, mas o horário noturno traz muitas dificuldades. Garantiu que votará a favor do projeto, mas deixou a entender que, por ele, a mudança só ocorreria em 2016. “Se o vereador Ronaldo tiver as 13 assinaturas, tudo bem. Mas se não chegar a esse número, ele tem de respeitar também”, avaliou.

6 COMENTÁRIOS

  1. Somos eleitos pra representar um povo, uma nação, e não um individualismo! Não existe imposições, e sim uma obrigação, um dever de um eleito!

  2. Rapaz………. Não era ele que dizia que trabalhava pelo povo?????!!!!!!! Que nada rapaz, conotação política tem essa coisa de bônus pra univasf, ele quer é jogar pra platéia. Interesseiro, quer trabalhar como médico apenas, e o povo NADA. Se quiser ser médico e não vereador então caia fora. VÁ TRABALHAR!!!!!!!!! Abandonou o barco do lado verdinho e perdeu apoio político, agora quer fazer média com os estudantes pra ter voto ano que vem. VÁ TRABALHAR!!!!!!!!! Tem muito buraco nas ruas, transporte coletivo indecente, educação ruim, faltam remédios nos postos. VÁ TRABALHAR!!!!!!!!!

  3. Há algum tempo atrás critiquei um vereador neste blog e surgiu alguém sei lá de onde me criticando por “agredir uma autoridade”. Já passou da hora do povo olhar para estes políticos com um olhar mais crítico. Antes de mais nada, estes são representantes escolhidos pelo povo. Nós é que somos os chefes, e não o contrário. Quando vejo um político desses dizendo que não aceita imposições, só posso reforçar minha tese que, neste atual mandato não há um vereador que tenha valido seu voto. Todos são movidos à negociatas e mudam seu discurso sob circunstâncias no mínimo estranhas. Não são confiáveis e eu, como chefe, não colocaria uma pessoa que não confio para trabalhar para mim. Então, por mim, pode pegar o boné e ficar em casa a partir do ano que vem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome