Diretoria do Hospital Imip/Dom Malan explica morte de bebê

por Carlos Britto // 06 de maio de 2009 às 18:38

Sobre a denúncia da morte de uma criança em trabalho de parto, no Hospital Dom Malan/Imip, veiculada na Petrolina FM na semana passada, a assessoria de comunicação do hospital enviou nota explicando o que de fato aconteceu:

Todas as evidências encontradas através dos exames clínicos realizados na
 paciente Ana Carla Vasconcelos, comprovam que a criança já chegou morta a esta unidade hospitalar no dia 26/04/2009.

A assistência médica foi garantida a paciente durante sua permanência na
 unidade, bem como, todos os esclarecimentos foram fornecidos a família.
 Não procede a informação de que os atendimentos sejam realizados por
 estagiários.

O Imip/Dom Malan informa ainda que todos os médicos que
 desempenham suas atividades nesta instituição são registrados no Conselho
 Regional de Medicina.

Diretoria do Hospital Imip/Dom Malan explica morte de bebê

  1. epaminondas disse:

    imip e nome reconhecido por competencia!
    se teve problemas… tem que verificar.
    uma vida nao tem preço,como tambem nao tem o renome do imip.
    todo cuidado e pouco ao analisar estas coisas.

  2. EU disse:

    Não é a primeira criança que morre por descaso daquela unidade hospitalar que veio se intalar com o intuito de faturar muito alto.nesta cidade….
    Assistir o ckamor de um pai que vai entrar na justiça e esta ehistporia deve ter mais ou menos 4 meses…
    Nome não vale nada, do mesmo jeito que é feito acaba, e por aí avi….
    ruim é perder uma vida, jamais se reconstroi….. ainda mais bebe com um futuro pala frente….pq é pobre? pq é preto? pode?
    bom respostas se deem para estes fatos, não se concebe mais nos dias de hoje isso acontecer, a não ser por ……..estagiários, medicos sem residencia….recem formados etc

  3. Andreia disse:

    Pra mim nao mudou nda, continua sendo HDM “o matadouro”.
    So tem aparelhamento, mas atendimento bom, nao tem e nunca teve.
    Era bom q a imprensa fosse verificar qualquer dias desses como as gravidas sao tratadas por la. Passam o dia inteiro, o dia mesmo, chegam pela manha e so sao atendidas no final da tarde, isso qnd o medico vem. So pra fazer uma simples ultrasonografia demora isso tdo. E ainda tem q esperar num corredor, em pé. Ja vi mulher com suspeita de aborto chegar por la e ser atendida por ultimo, parece q fazem de proposito. Desse jeito nao ha bebê q resista. Mesmo q tenha sido um aborto provocado, é direito da paciente ser atendida sim. Nao tem porque diferenciar quem abortou espontaneamente ou nao. Mesmo um pequeno sangramento pode vir a se tornar fatal para ambos. A obrigaçao deles como medicos, enfermeiros, é de cuidar das pessoas, de tentar salvar vidas, e nao de matá-las.
    Infelizmente, essas pessoas q trabalham na area de saude sao as mais sem coraçao q eu ja vi, nao sao nem um pouco HUMANAS.

    1. vanderleia disse:

      verdade,uma parente minha foi lá ontem ela estar gravida de dois meses,foi com hemorragia suspeita de aborto ela chegou umas15;00 horas só foi atendida a 00hras a meia noite e sentindo muitas dores.

  4. Opara disse:

    Se tem um profissional que não pode ter estabilidade ad perpetuam, é o profissional da saúde. Enfermeiros, médicos, atendentes, vigilantes, etc… deveriam ser todos tercerizados. Não culpo os profissionais da saúde pelo péssimo atendimento. Coloquem-se no lugar deles. Todo dia aquela rotina. Ferimento de bala, pernas quebradas, crânio afundado, sangue e muita reclamação, as vezes justas, as vezes injustas. Chega um ponto que a pessoa perde o senso de humanidade, e fica fria como um ice berg. A solução é mudar os profissionais, pelos menos a cada 2 anos. Isso só é possível se terceirizar.

  5. farinha disse:

    Trocar a cada 2 anos???
    Profissional de saúde é fabricado em linha de montagem??? como televisor, geladeira., carro.
    Petrolina e Região deveria se conscientizar de que deve remunerar mais os profissionais de saúde.
    Hj em dia não é mais tão vantajoso financeiramente para os profissionais de saúde instalarem-se na região. Os salários são os mesmos de Recife, Salvador. Isso sem comparar com RJ e SP, que remuneram melhor do q aqui.
    Há de se ter incentivos para os profissionais. Atrativos. Essa é a realidade.
    Terceirizar????
    Profissionais do poder judiciário, como juízes, promotores e defensores publicos são terceirizados ???
    Terceirização significa precarização nas relações trabalhistas. Sem 13, férias e fgts.
    Deve haver, sim, maior controle sobre os profissionais. Avaliaçao contínua, educaçao continuada. Metas.
    Profissionalização.
    Profissional nao vai bem, demite-se.
    Profissional cumpre suas metas, incentive-o.
    O IMIP nao pode viver de nome. Os médicos que la estao sao os mesmo da época do HDM. Com os mesmos vícios. As mesmas atitudes.
    Isso sim deve ser mudado.
    3 médicos de plantão é suficiente para atender a populaçao.
    01 fica na triagem, enquanto 2 realizam os procedimentos – cesarianas, curetagens e partos normais, sendo q os partos normais podem ser divididos com as enfermeiras obstétricas.
    Dessa forma funcionaria bem. Até pq os 2 que ficariam responsaveis pelos procedimentos nao estariam ocupados o tempo todoe poderiam ajudar na triagem.
    O que nao pode acontecer é que no momento em q os 2 médicos responsáveis por procedimentos nao estiverem na realaizaçao destes, fiquem dormindo, saindo para atender em consultorios particulares ao lado do hospital ou ficando na preguica.
    Isso é de fácil resoluçao. Falta gerenciamento.
    Todos os obstetras do IMIP reclamam mas nao largam o osso. Agora pedriam demissão.
    Vejam se no dia 25, qdo acaba o aviso previo, se todos nao estarão lá trabalhando.
    O osso é duro mas é gostoso de roer. Nao enche a pança, mas enche o bolso.

  6. Interessada disse:

    Certamente quem critica não conhece esta unidade. Gente são quase 500 partos por mes e vc não quer que nesse numero tenha óbtos, façam-me o favor, médicos não são Deuses, apesar de às vezes eles pensarem que são! Vejam bem, o poder da vida e da morte não está na mão das pessoas e sim de DEus. Quanto ao ultrasom, fala sériooooooooooooo!!!!!
    Gente em Petrolina não tinha pelo sus aparelho de ultrasom, e o IMIP trouxe um aparelho com doppler para fazer esse tipo de exame no hospital. Falar sem conhecer é muito fácil!!
    Venham ver o trabalho do IMIp de perto. Petrolina táacostumada com gente que quer levar dinheiro em tudo,mas quando uma entidade séria faz uma boa gestãodos recursos ela é motivo de chacota porque não dá dinehrio aos “peixes”, gente o IMIP pode sair de petrolina por ignoranciae principalmente por falta de atitude da sociedade!
    Reage povo!!!
    Abre o olho!!!!!

  7. Pedra Linda disse:

    Avisem ao Sr. Opara que os serviços médicos do Hospital Dom Malan já foram terceirizados.

  8. Tô de olho... disse:

    Muito fácil colocar a culpa de um recém nascido morto no hospital. Alguém foi checar o pré-natal q foi realizado nesta paciente? Duvido! Para a populaçao leiga a culpa é sempre do hospital, é isso q se vê aqui em Petrolina. A população se contenta em ter uma familiar sua realizando pré-natal por enfermeiros, médicos que não são obstetras. Se se contentam com isso, temq se contentar tb com as consequências disso. Duvido que as familiares dos gestores de saúde q implantaram os PSFs na cidade quando engravidam façam seu acompanhamento com enfermeiros e médicos que não sejam obstetras… Mas a populaçao nao tem escolha, se não pode pagar seu pré-natal com obstetra particular é OBRIGADO a fazer seu acompanhamento nos postos de PSF com enfermeiros e, muito raramente, com um médico não especialista. E assim ficam sujeitos a ter uma gravidez acompanhada de forma bastante precária, deixando passar fatores de riscos e, sendo assim, o final de uma gravidez q deveria ser motivo de muita alegria, transforma-se em uma grande tragédia….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *