Programa destina R$ 12 milhões para audiovisual baiano

0

DilmaLançado em Brasília pela presidente Dilma Rousseff na última de terça-feira (1º), o programa Brasil de Todas as Telas vai destinar R$ 12 milhões para a produção de obras de animação, ficção, documentário e telefilme na Bahia. O investimento é inédito para o segmento no estado, através do Programa de Fomento à Produção Audiovisual Baiana.

As ações do Brasil de Todas as Telas são estruturadas em torno de quatro eixos: desenvolvimento de novos projetos e obras audiovisuais, produção e difusão de obras nacionais na tevê e nos cinemas, capacitação e formação profissional, implantação e modernização de salas de cinema. “O programa é parte do nosso esforço para fazer justiça a essa imensa criatividade do nosso país e transformá-la ainda mais numa das bases da indústria cultural. Esse fundo de R$1,2 bilhão no total é o maior programa de apoio ao audiovisual implementado no Brasil não só pelo volume de recursos, mas pelo conjunto de ações desenvolvidas”, disse a presidente.

Do aporte total para a Bahia, os recursos serão geridos pelo Instituto de Radiodifusão do Estado (IRDEB). O planejamento é que eles sejam distribuídos da seguinte forma: R$ 1,5 milhão para produção de documentários com duração entre 50 e 120 minutos; R$ 800 mil para produção de telefilme de ficção de 50 a 120 minutos e mais R$ 9,7 milhões para produção de obras seriadas. A expectativa é que a Bahia receba R$ 8 milhões com a contrapartida de R$ 4 milhões do governo estadual.

“A assinatura do convênio representa um momento histórico para o audiovisual do Brasil e, em especial, da Bahia. A expectativa é que sejamos contemplados com recursos, no total, em torno de R$ 12 milhões. É um marco para o setor”, afirmou a secretária de Comunicação Social em exercício, Marlupe Caldas, que representou o governador Jaques Wagner no evento de lançamento do programa.

Os projetos selecionados terão janela assegurada de exibição, que é a TV Educativa da Bahia. Porém as produtoras contempladas poderão negociar posteriormente suas obras com outros canais, atendendo assim a demanda por conteúdos regionais da Lei da TV Paga.

A atração dos recursos através de proposta aprovada integralmente pela Agência Nacional do Cinema (Ancine) resulta do trabalho desenvolvido desde 2007 pelo Governo do Estado e pela Comissão do Audiovisual do Conselho Estadual de Comunicação Social para fortalecer e desenvolver o setor em franco crescimento no país e na Bahia. As informações são da Secretaria de Comunicação da Bahia. (foto:  Roberto Stuckert Filho/divulgação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome