Citado em planilhas de construtora investigada na Lava Jato, Isaac Carvalho nega recebimento de doação

9

Caiu como uma bomba em Juazeiro (BA) a citação do prefeito Isaac Carvalho (PCdoB) numa planilha apreendida pela Polícia Federal (PF), na qual a empreiteira Odebrecht, investigada na Operação Lava Jato, cita nomes de 200 políticos que teriam recebido repasses da construtora.

Segundo o Blog do Fernando Rodrigues (Portal de Notícias UOL), as planilhas estavam com Benedicto Barbosa Silva Júnior, presidente da Odebrecht Infraestrutura, e conhecido no mundo empresarial como “BJ”. O material foi apreendido na 23ª fase da operação Lava Jato, batizada de “Acarajé”, realizada no dia 22 de fevereiro. Parte significativa da contabilidade se refere à campanha eleitoral de 2012, quando foram eleitos prefeitos e vereadores.

Na relação, surgem nomes de ministro do governo, senadores e deputados, todos com foro no Supremo Tribunal Federal (STF). Estão presentes, por exemplo, os nomes do senador Aécio Neves (PSDB-MG), do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), Humberto Costa (PT-PE) e o ex-governador pernambucano Eduardo Campos (PSB), que morreu em agosto de 2014.

As planilhas são riquíssimas em detalhes – embora os nomes dos políticos e os valores relacionados não devam ser automaticamente considerados como prova de que houve dinheiro de caixa 2 da empreiteira para os citados. São indícios que serão esclarecidos no curso das investigações da Lava Jato. Várias planilhas apreendidas trazem nomes, cargos, partidos, valores recebidos e até apelidos atribuídos aos políticos.

Além de Isaac Carvalho, vários políticos baianos constam nas planilhas, entre eles o ex-governador Jaques Wagner (PT), que é apelidado no documento de “Passivo”. Conforme a planilha, Isaac teria recebido R$ 300 mil da construtora em nome do “Passivo” (Jaques Wagner). A verba, ainda conforme a planilha, teria sido repassada em três parcelas de R$ 100 mil. Após o vazamento das planilhas, o juiz Sérgio Moro, que comanda a operação Lava Jato, determinou o sigilo dos documentos.

Resposta do prefeito

Em resposta à acusação, o prefeito Isaac Carvalho, através de sua assessoria, se defendeu e garantiu que não recebeu nenhuma doação oficial ou extraoficial da Odebrecht para sua campanha. Conforme a nota, o prefeito informou ainda que não existe sequer uma obra em Juazeiro – concluída ou em andamento – realizada pela Odebrecht e, portanto, não mantém nenhum tipo de ligação com a empreiteira.

Isaac Carvalho informou, também, que as prestações de contas de suas campanhas foram aprovadas pela Justiça Eleitoral, o que pode ser constatado através do site do Tribunal Superior Eleitoral: www.tse.jus.br. Para finalizar a nota, o prefeito de Juazeiro ressaltou que anseia por uma rápida conclusão das investigações para que o fato venha a público com o devido e incontestável esclarecimento.

9 COMENTÁRIOS

  1. É mais um que diz a mesma coisa: Nunca recebi nada de ninguém, minhas contas foram aprovadas pelo TSE. O mais interessante é que os nomes estão na Lista de Schindler (leia-se Odebrecht), mas quase TODOS estão vivos e negam. Só quem não recebeu dinheiro algum foi o POVO que com essa balburdia toda que assola o país está cada vez mais ficando sem o vil metal no seu bolso. Eu posso garantir que nada recebi, também nem político sou(ainda) mas quem sabe no futuro………..

  2. Engraçado não falaram nada de FBC,Raul Julgman e Jarbas Filho que também aparecem,enquanto isto o povo dormindo nas filas para fazer Biometria,gente se vcs não forem votar depois vcs vão na justica e pagam uma multa de 3,50 e ficam com todos os direitos

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome

20 − quinze =