Cemafauna e Projeto de Integração do rio têm primeira tese de Doutorado defendida sobre aves da Caatinga

0

01tese doutorado - cemafauna - aves da caatinga“Avifauna em formações vegetacionais semiáridas no nordeste do Brasil – diversidade e sazonalidade”. Esse é o tema da tese de doutorado de autoria do biólogo Nicholas Kaminski, que já fez parte da equipe de analistas ambientais do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga), que agora deixa mais essa contribuição científica para o Projeto de Integração do Rio São Francisco com as Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF), promovido pelo Ministério da Integração Nacional.

De acordo com o biólogo, todos os dados analisados são oriundos do monitoramento de fauna do PISF, tendo sido aproveitados oito pontos de monitoramento, quatro no Eixo Leste e quatro no Eixo Norte. O programa de doutorado é da Universidade Federal do Paraná, e para sua tese Nicholas teve como co-orientadora a coordenadora do Cemafauna, professora Patricia Nicola. O trabalho é composto por quatro capítulos com informações que discorrem sobre aspectos da avifauna ocorrente na Caatinga e suas relações com os aspectos climáticos e vegetacionais.

Ao longo da tese é possível conferir informações sobre o clima, solos, geologia, definições sobre os tipos de vegetação encontrados. São apresentados de maneira sintetizada aspectos sobre a ocupação do território e a degradação ambiental que o bioma vem sofrendo, desde a colonização e os impactos desta modificação na paisagem sobre a fauna da Caatinga. Também demonstra como a estrutura da vegetação influencia a abundância e riqueza de aves em áreas de Caatinga stricto sensu, ou seja, aquela que não apresenta limítrofes de convergência com outro tipo de vegetação nem brejos de altitude, evidenciando algumas preferências de grupos de espécies na ocupação dos ambientes da Caatinga – entre outros dados importantes.

Nicholas ressalta que essa “é uma contribuição ao conhecimento da avifauna da Caatinga, um dos ambientes com a biodiversidade menos conhecida no Brasil”. Além disso, a tese servirá de base para realização e estabelecimento de parâmetros de estudo sobre a fauna do semiárido, ajudando na tomada de decisões voltadas à conservação e manejo da Caatinga. (fonte/foto: Ascom Cemafauna)

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome