Atos de ‘selvageria’ na Avenida São Francisco levam vereadora Maria Elena a se mobilizar por providências

11

A Avenida São Francisco, na Cohab II/Areia Branca, zona leste de Petrolina, virou um palco para verdadeiros atos de selvageria no início da noite do último sábado (21), após o jogo do Flamengo pela final do Mundial de Clubes. Segundo informações repassadas ao Blog, a avenida ficou lotada, sobretudo de jovens. Inicialmente o clima era só de festa, mesmo com a derrota do time brasileiro, mas depois virou um pesadelo para moradores da área.

Policiais do 5º Batalhão fizeram rondas durante a primeira parte da comemoração e chegaram a dispersar o público para evitar consequências piores, mas não adiantou. Alguns minutos os jovens voltaram a se reunir em frente a uma conhecida cervejaria da avenida. “Eles bebiam sem medida, ouviam as músicas que desvalorizavam as mulheres, muitos usavam drogas e a consequência disso tudo: brigas!”, contou um morador.

Depois de três confusões, na quarta houve correria porque garrafas de vidros foram jogadas uns contra os outros. “Eles depredaram alguns carros estacionados, sendo muitos jovens feridos com os estilhaços e jovens caindo por entre as ruas, na correria em busca de abrigo”, informou. “A maioria dos jovens infelizmente não sabe e não conhece os termos ‘liberdade’, ‘regras’, ‘respeito’. E pior, estão se matando por nada! Quem sofre? Os moradores da Areia Branca, que têm que conviver com essa arruaça, sempre que tem festas desorganizadas e organizadas por multidões que invadem com seus paredões, músicas pejorativas, calçadas que amanhecem fétidas!”, desabafou.

A polícia foi acionada, após tanto tumulto, e muitos dos envolvidos    foram conduzidos a delegacia. “Precisamos urgente que sentem representantes da Associação da Areia Branca, poder público, segurança e a comunidade para podermos encontrar solução para estes eventos futuros a serem realizados na Avenida. Pois também colocam em risco a vida dos moradores das redondezas. E uma maior fiscalização dos estabelecimentos para não venderem bebidas a menores, principalmente em garrafas de vidro”, completou.

Vereadora

Preocupada com a situação, a vereadora Maria Elena – que reside na Cohab II – enviou uma nota a este Blog ressaltando que irá cobrar providências das autoridades.

Confiram:

Um transtorno que terá que ser enfrentado, reprimido e evitado pela força da lei aos olhos de quem tem o poder para tal: nesta segunda feira, dia 23.12, estarei marcando uma reunião em caráter de urgência com o comandante do 5º Batalhão de Polícia Militar, com a Secretaria Executiva da Mulher, com o presidente da Associação de Moradores de Areia Branca, com a Cubape e Feamupe, com o Conselho Tutelar, com a Vara da Criança e do Adolescente, com o Conselho da Mulher, a Comissão de Mulheres da Câmara de Vereadores e com representante do Movimento de Mulheres de Petrolina para se discutir  a aplicabilidade e rigorosidade da fiscalização da legislação vigente que proíbe os excessos das festas promovidas em espaços públicos, que atraem todos os públicos, principalmente os jovens adolescentes e pré-adolescentes, consumidores de bebidas e em alguns casos, de outros tipos de drogas. Assim como a questão do controle do volume dos sons, paredões que ultrapassam os 70 decibéis permitidos. Como  também a questão do policiamento para segurança das pessoas espalhadas nas avenidas;  da execução de músicas depreciativas não só a mulher  como a todos às minorias, da comercialização de produtos em recipientes perigosos, como garrafas de vidros etc.

Com vistas a se impor uma organização mais rigorosa e qualificada para evitar os excessos e vandalismos que normalmente vêm acontecendo em dias de festas comemorativas, a exemplo do que aconteceu ontem (sábado), depois do jogo do Flamengo na Avenida São Francisco com a Avenida Paraíba e ruas e avenidas adjacentes. A população da Areia Branca e entorno já não aguenta mais e está em polvorosa, e se recente de medidas urgentes coibitivas que sejam tomadas pelo poder público e órgãos de segurança.

Maria Elena/Vereadora  

11 COMENTÁRIOS

  1. Já era de se esperar esse tipo de confusão. Cansei de ver uso abusivo de álcool e drogas em outros eventos por lá, como carnaval, jogos futebolísticos , etc… liberdade é uma coisa. Vandalismo é outra. Tem que ser coibido mas não só na areia branca, e sim em tantos outros bairros que também sofrem com essé tipo de baderna. Cacete em vagabundo.

    • Esses vagabundos só prestam pra infernizar a vida de pessoas de bem.Imagine um cidadão dormindo depois de uma longa jornada de trabalho. É ridículo quando eu vejo a seleção triste canarinho jogando e fazendo feio enquanto essa nacao de burros vestem a camisa amarela.Agora se interessar pela vida política do Brasil e suas consequências esses vagabundos não querem saber. São lixos humanos.a merda da sociedade.

      • Miguel coelho traga de volta o centro comercial agrícola de Petrolina-pe e levante o esqueleto industrial que existe hoje.O galeguinho e o papai Fernando são Rebola excepcionais.Desemprego e miséria em Petrolina-pe e festas de Sao João com cantores que não tem nada a ver com a cultura do Nordeste. Rebola Prefeito e bota essas imundices. Rebolarem a bunda.Petrolina. umas das melhores cidades pra viver. Será?Bom pra essa praga política de vereador acima que não precisa do SUS (Sistema Único Sujo) e essa educação falida. Kkkkkkkkkk!

  2. Os moradores do Km2 estão com razão em não querer que o antigo Ceape seja transformado em pátio de eventos pois estarão sujeitos as barbáries deste pessoal que sempre se excede em festas.

  3. Muito mimimi por nada, não quer ouvir música depreciativa, ver gente embriagada, é só não ir. Toda vida a avenida São Francisca foi palco de manifestações e festas de todo o tipo. As declarações desta senhora bem como a atuação da polícia são dignas de fascismo, totalitarismo, engenharia social e higienismo.

    Estamos vivendo tempos sombrios, onde a manifestação popular, a comédia, a tradição virou caso de polícia. É o agigantamento estatal fazendo o Leviatã de Hobbes uma criancinha mimada.

  4. Parabéns pela iniciativa Vereadora.
    A lei e pra todos, o meu direito termina quando começa o do meu próximo…
    A polícia têm que agir Sim, a inteligência principalmente, identificar onde estão as bocas e drogas da Av. E fazer valer a lei do silêncio…

    Por esse mesmo motivo, concordo com os moradores do Km 02 só não vê quem não quer que este pátio de eventos alí não vai prestar…

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome