Artigo do leitor: “Periferia, geometria, geografia e Juazeiro da Bahia”

4
Foto: Ilustração

Neste artigo, enviado pelo professor Pedro Felipe Carneiro, ele fala sobre a relação entre periferia, geometria e a geografia de Juazeiro (BA), ressaltando suas formas e linhas culturais, ao mesmo tempo que destaca as características únicas da região. Pedro traz exemplos do que significa periferia e porque o assunto se faz necessário. Confiram:

Periferia, geometria, geografia e Juazeiro da Bahia

Eu tenho certeza que quando você viu essa imagem a primeira coisa que pensou foi: É um círculo. De fato, essa é a definição geral da imagem, mas existem vários conceitos e termos que se aplicam sobre o círculo, entre eles o nome que se dá para esta linha preta, periferia. Se entende como periférico aquilo que marca o limite, consequentemente são as linhas que dão a forma do objeto.

A geografia entende um conceito similar para periferia, como as áreas mais afastadas do centro de determinada região, mas o entendimento sociológico se aplica melhor aqui na minha cidade por exemplo, pois em Juazeiro o centro é comercial, leva nome de centro pois sinaliza pra onde flui o capital da cidade, onde estão os bancos, o comércio e principais empresas. Mas geograficamente o nosso centro é área limite, logo a frente é outro estado.

A periferia é a parte da forma que toca o dentro e o fora, que tem acessos mais amplos com o diferente e com si mesmo… Não existe forma sem periferia, sem ela é apenas um vácuo, um vazio… Todos nós somos a periferia de alguma coisa, somos pedaço daquilo que desenha um todo.. igreja, família, cidade… A minha cidade por exemplo tem esse apelido, periferia.

Dado por alguns que tentam tornar esse termo pejorativo na tentativa de desfazer Juazeiro em comparação com a cidade vizinha… Mas é isso, em juazeiro somos periferia mesmo, somos as linhas que dão a forma da alegria, da luta e do trabalho, somos as marcas da esperança e somos o próprio limite da nossa amada Bahia.

Prof. Pedro Felipe Carneiro

4 COMENTÁRIOS

  1. O problema não é a cidade e sim seus moradores que não sabem cobrar seus direitos aos políticos que eles elegem,para Juazeiro tendo festa todo dia é o que vale,os políticos passam 4 anos roubando faz um carnaval o povo esquece tudo no outro dia vota nos mesmo, ninguém deve ter político com SemiDeus,pois comem ,bebê,faz necessidade fisiológica igual você ,não tenham medo de mandar esse povo pastar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome