Artigo do leitor: “As pesquisas e a relação entre o Zika e a microcefalia”

por Carlos Britto // 02 de julho de 2021 às 18:47

Foto: reprodução

Neste artigo, a leitora Rosita Capelo cobra da ciência a verdade sobre o que teria provocado tantos casos de microcefalia no país. Segundo ela, até o existem muitas pesquisas que tentam comprovar a relação da doença com o Zika, mas os resultados são insuficientes.

Confiram:

Com menos de um ano cientistas desenvolveram a vacina contra a Covid e com mais de cinco ainda não sabem ao certo o que causou a microcefalia no Brasil em 2015. As pesquisas que encontram relação entre o Zika vírus e a microcefalia são inúmeras, no entanto insuficientes para comprovar tal teoria. Portanto continua a pergunta: O que causou tantos casos de microcefalia no Brasil em 2015?

A ciência deve buscar a verdade e não aceitar pesquisas direcionadas para atender a interesses individuais. No lugar de promover eventos e financiar pesquisas para descobrir a causa da tragédia de microcefalia, direcionaram as pesquisas financiando e promovendo eventos sobre o Zika vírus.

Canalizaram as pesquisas para o vírus, por isso as temos em grande quantidade. Mas onde estão as pesquisas para descobrir a causa do surto de microcefalia no Brasil em 2015? Se não foi o Zika vírus, qual foi a causa? Se foi o Zika, onde estão as pesquisas que comprovam essa teoria? O que fizeram com esse dinheiro público?

Alguns cientistas acreditam que “quando existem muitas pesquisas sobre um determinado tema, isso já se torna uma verdade indiscutível”. Ou seja, se prendem a quantidade sem considerar a qualidade dos trabalhos. Talvez por isso tenham direcionado as pesquisas para o Zika Vírus. Para desviar da causa e ocultar a verdade.

Esse mês (jun/21) houve manifestação a favor da ciência. Uma das notícias desse evento informa sobre os cortes na ciência promovido pelo atual presidente. Mas de que ciência estamos falando? A que busca a verdade ou a que tenta esconder? Qual o resultado das pesquisas sobre a causa desse “surto” de microcefalia? A verdadeira ciência precisa ser defendida e incentivada, assim como a falsa precisa ser combatida e detida.

Em 2014, meses antes de começar a nascer crianças com microcefalia o ministério da saúde incluiu uma vacina no calendário das gestantes contra a coqueluche (dTpa). Porque as pesquisas não consideram a hipótese de ter sido essa vacina quando aplicada nos primeiros meses de gestação? Existe interesse em descobrir e revelar a verdade? Ou colocaram os interesses individuais a cima da ciência?

Acredito que, tanto quanto o conhecimento, os cientistas precisam de valores como honestidade e responsabilidade para desenvolverem a verdadeira ciência. Vamos descobrir o que deixou no Brasil mais de 3.000 crianças com microcefalia em 2015, fora o número de mortos. Depois das investigações certamente teremos condições de identificar quem está por trás da pandemia e da microcefalia. Penso que assim também colaboramos com a ciência, buscando e divulgando a verdade.

Rosita Capelo Fonteles/Leitora

Artigo do leitor: “As pesquisas e a relação entre o Zika e a microcefalia”

  1. Defensor da liberdade disse:

    Só no primeiro trecho já deu preguiça de ler o resto, pois é claramente besteirol de antivax. A família Sars-cov é bastante conhecida pela ciência, por isso a vacina do Covid saiu tão fácil. Ademais não estamos mais na década de 30 que as coisas eram feitas na martelada, tudo hoje é feito com o emprego de tecnologia de altíssimo grau de sensibilidade e eficiência.

    E sim esta correlação já foi comprovada, porém a contração do Zika por gestantes não quer dizer que o feto necessariamente desenvolverá a má formação. O surto aconteceu devido o vírus não existir no Brasil até 2014, o que obviamente resultaria em maiores danos.

    Vamos se atualizar por favor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *