Após recente tragédia no Rio São Francisco, leitor cobra sinalização para transporte aquático

por Carlos Britto // 07 de julho de 2021 às 19:02

Foto: divulgação

Após a tragédia nas águas do Rio São Francisco, no último domingo (4), em Petrolina, a qual terminou com a morte da empresária Gleyciara Andrade, que sofreu um grave acidente de jet ski, o leitor Emerson Costa chama a atenção das autoridades competentes quanto à sinalização no rio para os veículos aquáticos. Ele cita, sobretudo, o trecho entre Petrolina até a Barragem de Sobradinho (BA). Este Blog, aliás, também já publicou uma demanda nesse sentido, conforme lembrou o leitor.

Confiram:

Gostaria de através do seu blog, solicitar uma resposta da Marinha do Brasil e ao DNIT, após o acidente com jet ski com vítima fatal no Rio São Francisco, uma posição em relação à sinalização do trecho Petrolina- barragem de Sobradinho. A sinalização é deficiente e antiga. O nível do rio sobe e desce constantemente, de acordo com o volume de água liberado na barragem de Sobradinho, e isso faz com que as boias de balizamento se soltem, se percam, apareçam bancos de areia, que ocasionam os acidentes.

Pelo que se sabe, a Marinha não é responsável pelo balizamento, mas como órgão oficial, e sendo a responsável pela navegação e segurança de tripulação, pode solicitar a quem tiver a responsabilidade a correção e adequação da sinalização competente ou qual seria o procedimento.

A navegação no rio é feita de forma que o condutor tem que decorar cada ponto do rio. Se a água mudar o volume, o condutor fica completamente perdido e assim acontecem os acidentes. É inaceitável que se fale em apurar acidentes e não se falar no balizamento. Esse tema já foi citado em uma reportagem no próprio Blog em 2018.

Emerson Costa/Leitor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *